Francisco Magalhães: «Temos tudo para surpreender frente à Geórgia»

Na sétima jornada do Europeu das Nações

• Foto: Pedro Simões

O capitão da Seleção Nacional, Francisco Magalhães, considerou esta quinta-feira que a equipa tem tudo para poder causar uma surpresa no encontro de sábado, frente à Geórgia, na sétima jornada do Europeu das Nações. "Temos tudo para, no sábado, poder causar uma surpresa. Provavelmente, eles vão querer rodar jogadores, temos de saber aproveitar isso", disse o jogador na conferência de imprensa de antevisão do jogo, a disputar sábado, às 14H30, no Estádio Universitário, em Lisboa.

Francisco Magalhães lembrou que a equipa nacional "é muito jovem" e que o râguebi português "está numa fase de mudanças" ao nível desportivo e institucional, aludindo às recentes alterações no comando técnico da seleção e na liderança da federação da modalidade.

O jogador do CDUL considerou a Geórgia, que lidera a classificação só com vitórias e já está apurada para o Mundial de 2019, e a Roménia, segunda, como os adversários mais difíceis, contra os quais Portugal pode "melhorar performances".

"Nos jogos com a Geórgia e com a Roménia podemos evoluir, consolidar jogo e o grupo", disse, admitindo que, para Portugal, os jogos-chave serão frente à Alemanha e à Espanha.

Os lobos partem para o primeiro jogo do ano em solo português na quinta posição do Europeu das Nações - o equivalente à segunda divisão do Torneio das Seis Nações - na quinta posição, com quatro pontos, atrás da Espanha, que é quarta (12 pontos), e à frente da Alemanha, que é sexta e última classificada, ainda sem qualquer ponto.

Do lado da Geórgia, que lidera com oito pontos de vantagem sobre a Roménia, segunda, o vice-capitão, David Kacharava, admitiu que a equipa tem "seis ou sete jogadores novos", mas alertou para o facto de "não existirem jogos fáceis".

"Sabemos estar preparados para jogos com diferentes tipos de equipa, desde as mais fortes às mais fracas", afirmou o jogador da Geórgia, seleção que venceu os seis encontros já disputados.

Ian Smith, o selecionador de Portugal, que se prepara para o segundo encontro à frente dos 'lobos', classificou o adversário de sábado "como uma equipa muito forte" e, tal como Francisco Magalhães, considerou que os verdadeiros testes serão os jogos com Espanha, Alemanha e Rússia, terceira classificada, com 17 pontos, menos três que a Roménia, segunda.

O selecionador de Portugal, que no sábado passado se estreou com uma derrota, por 14-39, frente à Roménia, admitiu que os primeiros jogos "servem muito para a equipa se conhecer a si própria".

Na oitava jornada, agendada para 27 de fevereiro, Portugal defronta a Alemanha, a única equipa que já venceu nesta competição

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Râguebi

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.