Record

Selby treme mas não cai e O'Sullivan compromete o sonho

Perturbação mental do Rocket continua... agora com um corta-unhas!

• Foto: Getty Images

"De génio e de louco todos temos um pouco" diz o dito popular. Mas depois há aqueles que têm muito. É o caso de Ronnie O'Sullivan, a grande estrela do snooker que tanto nos surpreende pela mestria com que joga como pelas loucuras que faz fora da mesa.

Desta vez, em plena primeira sessão do encontro dos oitavos de final que opõe o "rocket" a Barry Hawkins, e que para já O'Sullivan vai perdendo por 3-5, o penta campeão do mundo decidiu... usar um corta-unhas em pleno Crucible Theatre.

A situação, de tão inusitada, só se explica por uma sucessão de momentos infelizes de Ronnie sempre que a sua mente perturbada assim o exige. Apático e ausente, O'Sullivan ainda comandou até ao 3-2 num jogo bem disputado e com várias entradas acima de 100 pontos para cada lado.

A partir do 5.º frame, porém, só deu Hawkins que, neste encontro, procura vingar a humilhante derrota imposta por O'Sullivan na final do Masters, em janeiro, na qual o "Hawk" perdeu por claros 10-1. Diga-se no entanto que nada está decidido, até porque ainda faltam jogar duas sessões (de 8 e 9 frames cada), que só serão disputadas na tarde de amanhã e na noite de segunda-feira, 25, embora se possa dizer para já que O'Sullivan pode ter comprometido o sonho do hexa já que, e o próprio assumiu muitas vezes, sente muita pressão quando tem de correr atrás de resultados negativos.

Selby treme mas não cai

Quem também passou um mau bocado foi o n.º 1 do mundo, Mark Selby. O inglês, vencedor em 2014, vinha de um empate a 4 na primeira sessão ante o compatriota Sam Baird, uma das surpresas do mundial. Na segunda sessão do encontro, jogada na manhã de hoje, Selby até conseguiu ganhar vantagem por 9-7. Porém, quando se esperava um passeio do homem de Leicester, Baird encheu-se de coragem e recuperou do parcial de 8-11 para um empate a onze frames.

Só usando toda a sua mestria defensiva e tática é que Selby evitou o escândalo. Venceu os dois últimos frames para estabelecer o parcial final de 13-11 e aguarda agora o vencedor do encontro entre Mark Allen e Kyren Wilson.

Higgins de sonho e Williams nos quartos

Nos outros encontros do dia, o destaque vai por inteiro para a qualificação do galês Mark Williams depois do triunfo face ao inglês Michael Holt. Williams, vencedor em 2000 e 2003 desta prova, volta a marcar presença nos quartos-de-final de um mundial cinco anos depois, sendo que em 2011 chegou mesmo às meias-finais onde foi derrotado por John Higgins. O veterano galês terá como adversário na próxima ronda o vencedor do grande duelo dos oitavos entre os candidatos Judd Trump e Ding Junhui.

Quem também segue em frente com surpresa é o veterano escocês Alan McManus que bateu Ali Carter por 13-11, depois de recuperar de 7-9 (resultado que vinha da segunda sessão) para 11-9 após os primeiros quatro jogos da última sessão.

E por falar no "feiticeiro escocês", Higgins confirmou de novo a boa forma apresentada no jogo inaugural. Desta vez, o tetra campeão do mundo (1998, 2007, 2009 e 2011) esteve soberbo face a Ricky Walden, vencendo por 5-3 na primeira sessão, na qual fez quatro entradas superiores a 100 pontos.

Por Miguel Sancho
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Snooker

Notícias

Notícias Mais Vistas

M