Bombas taitianas à espera de Frederico Morais e companhia

Famosa onda tubular de Teahupoo recebe sétima etapa do Circuito Mundial

• Foto: EPA

Teahupoo é para muitos a etapa mais excitante do circuito mundial de surf, uma vez que os melhores surfistas do ano são, ano após ano, colocados à prova nas pesadas e perigosas ondas tubulares do Taiti. Este ano não será exceção, com o período de espera da sétima etapa do WCT 2019, que é exclusivamente masculina, a iniciar-se esta quarta-feira.

Com as previsões a apontarem para uma ondulação bem grande para a segunda semana do evento taitiano, as expectativas estão elevadas para uma etapa que vai contar, mais uma vez, com a presença de Frederico Morais. O surfista português tem o estatuto de suplente do circuito mundial em 2019 e garantiu uma vaga pela quarta prova consecutiva, em virtude das várias lesões entre os membros do top 34 mundial.

A estreia de Frederico em Teahupoo – uma onda tubular, que, diga-se a verdade, acaba por não assentar na perfeição no surf power e de linha do português – vai acontecer no heat 7, onde terá pela frente o "rei" Kelly Slater e ainda o rookie brasileiro Deivid Silva. Os dois primeiros de cada heat avançam diretamente para a 3.ª ronda, com os terceiros a disputarem uma ronda de repescagem, onde apenas quatro surfistas vão mais cedo para casa.

Após um 33.º posto na etapa de estreia em 2019, no oeste australiano, de um surpreendente 3.º posto no Brasil, e de um 17.º lugar na mais recente etapa, na África do Sul, Kikas vai procurar no Taiti melhorar o atual 31.º posto do ranking mundial, de forma a, mesmo sendo suplente, conseguir lutar pela qualificação para o WCT 2020. Para isso precisa de terminar o ano entre os 22 primeiros do ranking.

Esta será também uma etapa determinante para perceber quem serão os reais candidatos ao título, após a saída de cena de John John Florence, que contraiu uma lesão grave. Kolohe Andino agarrou a liderança na última etapa e tornou-se no primeiro californiano a fazê-lo em mais de 20 anos. Mas irá aguentar a pressão? E Gabriel Medina dará sequência à vitória alcançada em J-Bay, iniciando mais uma segunda metade de temporada imparável, depois de um arranque em falso?

A resposta pode ser dada nos próximos dias, com as previsões a apontarem para uma grande possibilidade de a prova arrancar já no próximo domingo.

Líder do ranking? Kolohe Andino (Estados Unidos)

Campeão em título da etapa? Gabriel Medina (Brasil)

Lesionados/Ausentes? John John Florence (Havai), Mikey Wright (Austrália) e Leo Fioravanti (Itália)

Substitutos? Caio Ibelli (Brasil), Frederico Morais (Portugal) e Matahi Drollet (Tahiti)

Wildcards (vencedores dos trials)? Kauli Vaast (França/Taiti) e Tyler Newton (Havai)

Principais favoritos? Gabriel Medina (Brasil), Kelly Slater (Estados Unidos), Owen Wright (Austrália) e Jeremy Flores (França).

A ação até já começou por Teahupoo e deu para aquecer os motores. No passado fim-de-semana entrou uma mega ondulação que deu origem a uma sessão de tow-in em ondas com mais de 5 metros, com os melhores surfistas do planeta a marcarem presença.

Por João Vasco Nunes
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Surf

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.