Campeão mundial fez pré-época em Portugal e ficou fã de uma onda

Italo Ferreira andou a evoluir pela costa oeste portuguesa durante as últimas semanas

• Foto: Reuters

O campeão mundial de surf de 2019, Italo Ferreira, andou recentemente pela costa portuguesa a preparar a nova temporada. E entre as várias ondas que surfou, sobretudo pela costa Oeste, Italo ficou fã de uma onda que ainda não conhecia, mas que é famosa por ser uma das melhores da Europa: os Coxos.

Esta direita situada perto da Ericeira faz a delícia dos locais, embora não seja internacionalmente tão conhecida como algumas das suas vizinhas, o que explica o facto de Italo apenas agora se ter rendido aos seus encantos. "Gosto muito de Supertubos, mas agora também dos Coxos. É uma onda na qual gostei muito de surfar de backside. Precisava de aprender um pouco mais sobre fazer tubos de backside. Surfei uns bons tubos e esta é uma onda que entrou na minha lista de eleição em Portugal", garantiu o surfista brasileiro, em entrevista ao site especializado "Beachcam".

O novo campeão mundial explicou que a escolha sobre a vinda a Portugal recaiu sobre o facto de a nossa costa ter bastante diversidade e qualidade de ondas. "Escolhi Portugal devido ao facto de ser inverno, ter boas ondas e uma costa diferenciada. Desta forma, consigo surfar todos os tipos de ondas e manobras. O meu foco, nesta viagem, esteve em melhorar a minha performance nos tubos e em ondas mais fortes. Por isso trabalhei bastante numa onda que é muito especial para mim: Supertubos", afirmou.

"Foi pouco tempo mas deu para sentir melhorias no meu surf. Num balanço final acho que a minha pré-temporada foi muito boa. A água estava bastante fria, mas sei que no fim do dia todo este esforço irá valer a pena. Agora é tempo de voltar para casa e retomar o trabalho físico", sublinhou Italo, que além da revalidação do título mundial também tem em mente uma medalha olímpica em Tóquio, na estreia do surf: "Conquistar uma medalha olímpica seria algo de incrível. Estou a trabalhar nesse sentido e foi por isso que comecei mais cedo a trabalhar nesta pré-época".

Além de Supertubos e Coxos, outro dos pontos por onde Italo Ferreira passou foi a Nazaré, onde acabou por ter uma experiência nas ondas grandes da Praia do norte. Algo que mexeu com ele. "A aventura no Canhão foi uma adrenalina extra. Fui ver a onda e entretanto alguns amigos desafiaram-me a entrar dentro de água. Acabei por surfar umas três 'ondinhas', que não são nada quando comparadas com aquelas que os big riders enfrentam. No entanto deu para sentir o quão forte e perigosa pode ser a Natureza. Senti-me muito bem dentro de água e deu para ver, no olhar dos outros atletas, o desejo de surfar a maior onda possível. Foi uma experiência marcante", confessou.

Por fim, Italo falou ainda do regresso de Frederico Morais ao WCT, elogiando o surfista português, com quem tem uma relação relativamente próxima. "O Frederico é um bom surfista e bastante dedicado. Tem um power surf muito forte e é um atleta que tem vindo a crescer. Já fui derrotado pelo Kikas algumas vezes. Penso que é alguém que pode representar muito bem Portugal no WCT", apontou o campeão mundial.    

Por João Vasco Nunes
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Surf

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.