Irmã de Gabriel Medina conquista primeira prova na WSL

Sophia venceu o QS3000 de Saquarema, com apenas 16 anos

• Foto: Instagram
Tem apenas 16 anos e está a fazer a primeira temporada no circuito WQS, mas Sophia Medina já fez jus ao nome para vencer pela primeira vez na carreira uma prova da World Surf League. A irmã mais nova do campeão mundial Gabriel Medina venceu, este domingo, o QS3000 feminino que se disputou ao longo da última semana em Saquarema, no Rio de Janeiro, praia que é apelidada de Maracanã do surf.

Um triunfo que coloca a jovem Sophia bem lançada para garantir a qualificação para as Challenger Series de 2022. Com duas provas já realizadas no circuito QS sul-americano, a mais jovem competidora do clã Medina juntou este triunfo ao 5.º posto alcançado na prova de estreia, em Florianópolis, liderando destacada o ranking feminino do circuito.

No dia final em Saquarema, Sophia esteve em plano de evidência e nas meias-finais começou por despachar a compatriota Larissa Santos, com um score de 15,33 contra apenas 6,90. Na outra meia-final, a olímpica Daniella Rosas venceu um duelo peruano frente a Arena Vargas, marcando, assim, encontro com Sophia Medina na final.
Apesar de a experiência estar do lado de Rosas, que até começou o heat de forma mais eficaz, a resposta de Sophia Medina surgiu na segunda metade da bateria. E foi suficiente para operar a reviravolta. A jovem surfista brasileira somou 14,27 pontos, contra os 12,34 da peruana, carimbando o triunfo em Saquarema.

"Nem consigo acreditar que venci um QS3000", começou por dizer Medina, após o triunfo. "Este era uma dos meus grandes sonhos e objetivos, por isso sinto-me realizada. Tem sido um ano difícil de transição de amadora para profissional, mas tenho trabalhado imenso. É por isso que esta vitória foi tão emocionante. Sei aquilo que tive de dar para conseguir chegar até aqui e estou feliz por perceber que toda a dedicação valeu a pena", confessou.

E o domingo só não foi de ainda mais festa para Sophia Medina, porque na prova júnior acabou por ser eliminada nas meias-finais, terminando no 3.º posto. Antes ainda do sucesso na prova principal, Sophia também lutava pelo triunfo na prova do Pro Júnior sul-americano, mas acabou por ser superada pela peruana Sol Aguirre, que viria a ser a vencedora.

Apesar de ter falhado o triunfo e o título do Pro Júnior, Sophia conseguiu singrar num palco maior, tendo já todas as atenções centradas sobre si. Depois de ter feito a estreia nas Challenger Series em Outubro na Ericeira, mas como wildcard, a irmã mais nova de Medina será, muito provavelmente, uma das surfistas que irá lutar a tempo inteiro por uma vaga no World Tour de 2023. 
Por João Vasco Nunes
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Surf

Notícias