Portugal com dia positivo em El Salvador e com aspirações redobradas

Apenas um surfista caiu para a repescagem após o segundo dia de prova

• Foto: David Cabral Santos/Arquivo

A Seleção portuguesa viveu esta segunda-feira um dia positivo no Mundial ISA de El Salvador, ainda que tenha ficado marcado pela primeira derrota e consequente ida para a repescagem de um surfista português. Na prova masculina Miguel Blanco não conseguiu avançar à ronda 3, ao contrário de Frederico Morais e Vasco Ribeiro. Já na prova feminina o trio de portuguesas fez o pleno.

Tudo começou com a estreia de Yolanda Hopkins e Carolina Mendes na prova feminina, elas que estavam inseridas nos heats ainda por realizar da ronda inaugural. Yolanda venceu de forma categórica o heat 26, somando 14,34 pontos. A surfista algarvia deixou a porto-riquenha Faviola Alcalá no 2.º posto, atirando para a repescagem a indonésia Dhea Natasya e a guatemalteca Barbara Sandoval.

Pouco depois, no heat 30, Carolina Mendes também conseguiu avançar para a ronda 2, embora tenha terminado no 2.º posto, com 9,07 pontos, superada apenas pela indonésia Taina Izquierdo, com a porto-riquenha Mia Calderon e a guatemalteca Tiziana Prem a serem relegadas para a repescagem.

A prova feminina avançou a todo o gás para a fase seguinte, onde o equilíbrio já era bem mais notório. Mas nem por isso Teresa Bonvalot deixou de vencer o heat 4 da ronda 2. A campeã nacional somou 11,10 pontos e superou por muito pouco a peruana Daniella Rosas (10,94), surfista que ficou famosa depois de ter conquistado a primeira vaga olímpica, que esteve em disputa nos Jogos Pan-Americanos de 2019. Teresa ajudou ainda a atirar para a repescagem Chelsea Roett, de Barbados, e a israelita Noa Lelior.

Ao final do dia foi a vez de Yolanda e Carol voltarem a entrar na água e mesmo perante condições de mar muito difíceis e com scores baixos, as portuguesas conseguiram fazer o pleno neste segundo dia de ação. Yolanda Hopkins somou 8,4 pontos e foi apenas superada pela peruana Melanie Giunta, atirando a ex-top mundial Chelsea Tuach, de Barbados, e a israelita Advah Bar Sade para a repescagem.

Carolina Mendes também foi segunda no seu heat, com 5,13 pontos, superada pela italiana Claire Bevilacqua, mas à frente da mexicana Shelby Detmers. Isto numa bateria em que a campeã mundial Carissa Moore não marcou presença, depois de grande parte dos surfistas do WCT que já estão apurados para os Jogos Olímpicos terem abandonado a competição, numa espécie de boicote devido aos vários casos de Covid-19.

Na ronda 3, onde já só restam 32 surfistas em prova no quadro principal, Teresa Bonvalot vai estar no heat 2 frente à australiana e top mundial Sally Fitzgibbons, à mexicana Asaya Brusa e à norte-americana Alyssa Spencer. Yolanda Hopkins compete no heat 7 e tem pela frente a uruguaia Marcela Machado, a italiana Claire Bevilacqua e a australiana e sete vezes campeã mundial Stephanie Gilmore. Por fim, no oitavo e último heat da ronda, Carolina Mendes defronta a peruana Melanie Giunta, a porto-riquenha Faviola Alcalá e a indonésia Taina Izquierdo.

Na prova masculina o dia foi mais curto para os portugueses, com Frederico Morais e Vasco Ribeiro a repetirem a boa forma demonstrada na véspera. Kikas surfou no heat inaugural da ronda 2 e venceu uma disputa muito equilibrada, conquistando 12,67 pontos, que deixaram o panamiano Isauro Elizondo no 2.º posto, com o mexicano Dylan Southworth e o marroquino Ramzi Boukhiam a seguirem para a repescagem.

Já Vasco Ribeiro venceu o heat 6, com um score de 13,33, deixando no segundo posto o sul-africano e top mundial Matthew McGillivray, e atirando para a repescagem o equatoriano Jonathan Zambrano e o alemão Dylan Groen, um dos vários surfistas da equipa germânica que reside em Portugal.

Por fim, as coisas já não correram tão bem a Miguel Blanco, que até conseguiu um score de 11,10 pontos, mas foi superado pelo japonês Hiroto Ohhara (13,66) e pelo indonésio Oney Anwar (13), com o nicaraguense Cesar Amador a terminar no 4.º e último posto. Agora, Blanco espera pelo arranque da repescagem para conhecer os adversários que terá pela frente na ronda 2 dessa fase, sabendo de antemão que o suíço Michel Zaugg é um deles e que a partir daqui em caso de derrota fica automaticamente eliminado.

Enquanto isso, no heat inaugural da ronda 3 Frederico Morais vai ter pela frente Josh Burke, de Barbados, o júnior norte-americano Ryan Huckabee e ainda o francês e colega de Tour Jeremy Flores. Por sua vez, Vasco Ribeiro está inserido no heat 4, onde também estão o israelita Yoni Klein, a venezuelano Francisco Bellorin e o indonésio Rio Waida.

A prova ficou ainda marcada pela saída de cena de vários tops mundiais. Além de Carissa, também Caroline Marks, Gabriel Medina ou Tatiana Weston-Webb já estão fora de cena. Algo que pode não interferir nas contas olímpicas, com estes apenas a já não serem obstáculos pelo caminho, mas que terá um grande contributo para os títulos coletivos em disputa. E a verdade é que Portugal surge já como uma das equipas mais bem posicionadas nesta fase do campeonato.

Para esta terça-feira, a prova vai avançar a bom ritmo e vai ficar já marcada pela realização da ronda 3, onde Portugal tem 5 surfistas (3 femininos e 2 masculinos) em ação. Esta será uma fase decisiva para os portugueses se afirmarem na competição, rumo às rondas finais. Da parte da tarde será dado o arranque das repescagens, mas só se realizará a ronda inaugural, o que faz com que Miguel Blanco não entra hoje em ação.

Por João Vasco Nunes
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Surf

Notícias