Soleil Errico e Harrison Roach campeões mundiais de longboard

Californiana e australiano fizeram a festa em Malibu

• Foto: WSL
A californiana Soleil Errico e o australiano Harrison Roach foram consagrados, esta quarta-feira, campeões mundiais de longboard, depois de uma etapa final dramática disputada na mítica onda de Malibu, na Califórnia. Um desfecho que viu os líderes dos rankings serem ultrapassados já na reta final da disputa pelos títulos.

No lado masculino a disputa foi muito intensa e até ao último segundo. Depois do triunfo de Roach na etapa de Bells Beach, na Austrália, e de Kaniela Stewart em Huntington Beach, na Califórnia, o havaiano chegava a Malibu com ligeira vantagem na liderança do ranking. E foram ambos os dominadores do evento, brilhando ronda após ronda até se encontrarem na finalíssima.

Com 10 mil pontos em jogo para o vencedor, quem saísse por cima do duelo final seria campeão mundial. E não poderia ter existido mais emoção. Harrison Roach começou mais forte, enquanto Stewart terminou em grande. Contudo, o havaiano acabou por deixar escapar o título por somente 0,36 pontos, após uma final eletrizante, em que Roach somou 15,93 pontos, contra 15,57.

Depois de ter regressado à competição em 2019, após uma pausa na carreira, Roach teve sempre em mente chegar ao topo do surf mundial. Conseguiu-o em 2022, depois de ter sido vice-campeão mundial no ano passado. O australiano sucede, assim, ao veterano e lendário Joel Tudor, que este ano não competiu por estar suspenso pela WSL, na lista de campeões mundiais de longboard.

Do lado feminino as contas foram diferentes. Com a havaiana Honolua Blomfield bem lançada para revalidar o título mundial, uma derrota surpreendente nos quartos-de-final frente à também havaiana Sophia Culhane acabou por dar margem à concorrência para atacar o topo do ranking.

Culhane acabou por ser novamente decisiva nas contas, ao eliminar Kelis Kaleopaa, vencedora da segunda etapa do ano, nas meias-finais. Na grande final, com o título em jogo, a vencedora acabou por ser a californiana Soleil Errico, com 17,04 pontos, contra 13 de Sophia Culhane. Um triunfo que valeu o título mundial a Errico, repetindo o feito que já tinha conseguido em 2018 e sucedendo a Honolua Blomfield, que caiu do 1.º para o 4.º posto do ranking.
Por João Vasco Nunes
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Surf

Notícias