WCT: Francês Jeremy Flores fez a festa em casa

Carissa Moore venceu prova feminina, antes da chegada do circuito a Portugal

• Foto: Carlos Barroso

Jeremy Flores e Carissa Moore conquistaram esta sexta-feira o Quiksilver Pro France, a nona e antepenúltima etapa do WCT 2019 e aquela que antecede a chegada do circuito mundial a Portugal. Numa tarde recheada de tubos em Hossegor, o francês acabou por levar a melhor frente à concorrência, depois de os principais candidatos ao título não terem conseguido chegar às rondas finais.

O francês foi mesmo o responsável pela eliminação do número 3 mundial Jordy Smith logo no primeiro heat do dia, nos oitavos-de-final. Nessa mesma ronda também Gabriel Medina, o líder mundial, ficou pelo caminho frente a Ace Buchan. Contudo, apenas Kolohe Andino e Italo Ferreira conseguiram ganhar algum terreno para a frente da tabela.

Nuns quartos-de-final recheados de surpresas, o grande embate acabou por ser o último, colocando frente a frente Kolohe, quarto do ranking, e Italo, quinto. Quem vencesse poderia reentrar nas contas do título e foi o brasileiro a levar a melhor. Enquanto isso, Jeremy continuava a encontrar tubos melhor que ninguém e a passear a sua classe.

Depois de Flores ter vencido o australiano Jack Freestone nas meias-finais e Italo ter batido o italiano Leo Fioravanti na mesma fase, parecia que o brasileiro estava embalado para se colar ao compatriota Medina na frente do ranking. Mas o francês tinha outros planos, voltando a ser exímio a entubar e não permitindo sequer que Italo Ferreira entrasse na disputa pela vitória. Um triunfo sólido, com 15 pontos contra apenas 8,23.

Depois de vencer o Pipe Masters em 2010 e 2017 e o Teahupoo Pro em 2015, Jeremy conseguiu agora triunfar em casa, mostrando que é um dos melhores tube riders do Mundo e um dos melhores surfistas europeus de sempre. Uma vitória que levou os franceses presentes na praia ao delírio e que deixaram o surfista de 31 anos, natural da Ilha Reunião, visivelmente emocionado.

Um desfecho que ditou a subida de Italo Ferreira ao 4.º posto do ranking e de Jeremy Flores ao 9.º. Na frente continua Medina, que, apesar do deslize, até ganhou vantagem ao mais direto adversário, o brasileiro Filipe Toledo. A luta pelo título ganha, assim, emoção para a chegada dos melhores surfistas do Mundo a Portugal, onde Medina até pode garantir o terceiro título da carreira de forma antecipada.

Na prova feminina o triunfo foi para a havaiano e líder mundial Carissa Moore, que bateu a concorrência de forma sublime, mostrando-se também especialistas nos tubos franceses. Depois de bater a norte-americana e número 2 mundial Lakey Peterson nas meias-finais, Carissa bateu a jovem Caroline Marks na final, ganhando uma vantagem ainda mais folgada na frente do ranking. Também ela pode ser campeã em Portugal, onde venceu em 2010, na última vez que o circuito mundial feminino passou por Peniche.

Por João Vasco Nunes
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Surf

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.