João Sousa destaca "ponto alcançado" na Taça Davis e Gastão Elias lamenta "encontro peculiar"

Tenistas portugueses com desfechos diferentes no primeiro encontro de singulares entre Portugal e Roménia

• Foto: DR

João Sousa ganhou o primeiro encontro de singulares da eliminatória entre Portugal e Roménia, no Grupo Mundial I da Taça Davis, e destacou o "ponto alcançado" para o saldo nacional, enquanto Gastão Elias lamentou a derrota num "encontro peculiar".

"Penso que fiz uma boa exibição e joguei bem. Consegui impor o meu ritmo de jogo, ser agressivo e daí ter vencido hoje", avançou o vimaranense, em declarações à agência Lusa.

Sousa, número 150 no ranking ATP, bateu o jovem romeno Filip Jianu (317.º), de 19 anos, em dois sets, com os parciais de 6-3 e 7-5, e tornou-se no jogador português com mais vitórias em singulares (26) na Taça Davis, superando o registo de 25 triunfos de João Cunha e Silva.

"Depois de um primeiro set muito bom, um segundo em que sofri um break logo ao princípio. Mas consegui reagir muito bem e no final joguei a um bom nível. O objetivo principal era dar um ponto a Portugal, algo que foi alcançado, e agora a eliminatória está em aberto", frisou o minhoto, de 32 anos.

Além de lamentar a derrota de Gastão Elias, João Sousa confessa estar à espera, no domingo, de "um dia difícil, com novos desafios e batalhas", mas confia que a equipa portuguesa vai "tentar superar e vencer a eliminatória" de apuramento para a fase de qualificação das Finais da Taça Davis de 2022, em março do próximo ano.

Já o jogador da Lourinhã, após o desaire diante do número um romeno e 250 do mundo, Marius Copil, por 6-4 e 6-3, defendeu ter "disputado um encontro muito complicado e peculiar" na Sala Sporturilor Horia Demian, onde a Roménia conseguiu amealhar o segundo ponto em discussão na eliminatória e restabelecer a igualdade no marcador.

"Não considero que tenha feito um mau jogo. Acho que a única coisa que podia ter melhorado era a percentagem de primeiros serviços. Joguei muitos pontos com o segundo serviço e isso permitiu que ele agarrasse mais a iniciativa do jogo. Tive que jogar muitos pontos do fundo, ganhei pouco pontos grátis, e, a partir do momento em que ele fez break no primeiro set, foi praticamente injogável", descreveu Elias.

Apesar de ter feito vários ajustes no seu jogo para tentar contrariar o rumo do encontro, o tenista português, 215.º colocado na hierarquia mundial, lembra que Marius Copil "não falhou praticamente em nada, no segundo set."

"O único ponto que ganhei no serviço dele foi numa dupla falta que ele fez. O Marius estava com um nível intratável. Conheço-o muito bem, sei do que é capaz, mas hoje esteve num dia muito bom. A juntar a isso, o tamanho dele e as subidas à rede que dificultavam o 'passing shot'... Mérito dele! Tentei ao máximo, mas infelizmente não consegui contrariar a principal arma dele", concluiu Gastão Elias.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Ténis

Notícias

Notícias Mais Vistas