Lisboa Belém Open: Roberto Carballés e Facundo Bagnis discutem final de singulares

Definido o encontro decisivo

• Foto: Beatriz Ruivo

No dia em que o secretário de Estado do Desporto e Juventude, João Paulo Rebelo, visitou o 3.º Lisboa Belém Open, a convite da Federação Portuguesa de Ténis (FPT), os favoritos Roberto Carballes e Facundo Bagnis qualificaram-se para a final do mais importante torneio de ténis do concelho de Lisboa, integrado no calendário do ATP Challenger Tour, com 46.600 euros em prémios monetários.
 
No Estádio do CIF (Club Internacional de Foot-Ball), com largas de dezenas de crianças nas bancadas graças ao torneio Vanguard Stars que decorreu em simultâneo, o espanhol Roberto Carballés, 86.º classificado no ranking mundial e 2.º cabeça de série, derrotou o seu compatriota Pedro Martinez, o 7.º cabeça de série e 143.º ATP, por 6-3 e 6-1, em uma hora e 24 minutos. Martinez, de 22 anos, foi assistido ao joelho esquerdo a 0-1, 30-15 do segundo set.
 
«Sabia que iria ser um encontro difícil porque já nos conhecemos bem, temos jogado algumas vezes e treinamos muitas vezes juntos em Barcelona, mas hoje senti-me muito cómodo, servi muito bem, consegui executar um ténis agressivo sem cometer muitos erros e foi importante ter entrado bem duro em cada set», disse à SportTV o jogador que este ano já ganhou um torneio do ATP Challenger Tour em Múrcia, mas que, sobretudo, é conhecido pela sua vitória no Open do Equador, no ano passado, em Quito, um evento do ATP Tour.
 
Foi a quarta vitória do jogador natural de Tenerife sobre Martinez, em outros tantos confrontos entre ambos. Na final de amanhã (domingo), marcada para as 11h00 e com transmissão em direto na SportTV – tal como as meias-finais, de hoje (sábado) – Roberto Carballés, de 26 anos, irá defrontar o argentino Facundo Bagnis, de 29.
 
O 10.º cabeça de série Bagnis está em grande forma. Na semana passada só foi travado na final do Braga Open pelo português João Domingues e hoje apurou-se para a sua segunda final seguida no ATP Challenger Tour, circuito em que já soma um pecúlio enorme de 12 títulos!
 
Na sua meia-final, o argentino que já foi 55.º do ranking mundial e agora é o 144.º, fez valer a sua superior experiência diante do fogoso italiano Lorenzo Giustino, o 11.º cabeça de série e 165.º ATP. Depois de um primeiro set duro, Bagnis tinha dois breaks à maior no segundo set, mas Giustino somou três jogos seguidos e quando o duelo se animava o italiano foi obrigado a desistir, com uma lesão no ombro direito, com o marcador a ditar 6-4 e 4-3 para o argentino, após uma hora e 42 minutos.
 
«Já tinha sentido o ombro ontem. Tem estado vento, é mais difícil servir, o esforço estava a ser maior, fiz até algumas duplas-faltas devido à dor e achei melhor desistir», disse Giustino, que jogou pela primeira vez no Estádio CIF e estava menos habituado às condições de jogo.
 
«Tive pena de não ter sido possível terminar o encontro, mas o Lorenzo não estava a sentir-se bem. Eu joguei muito bem, algo que já dura há duas semanas e estou muito contente de poder jogar outra final em Portugal. Foi um encontro muito difícil. Comecei bem, mas depois o final do primeiro set foi bastante equilibrado e complicado. Consegui de novo arrancar muito bem no segundo, estive quase a fazer o 5-0 e a resolver a questão. Depois ele começou a bater forte, descontraído, talvez sabendo que iria retirar-se», comentou Bagnis à SportTV.
 
O 3.º Lisboa Belém Open, coorganizado pela MP Ténis e UNISPORTS, em parceria com a FPT, vai, assim, terminar em beleza com um confronto entre dois jogadores com nível de ATP Tour. Será o terceiro duelo entre ambos, sempre em terra batida. Em 2014, no qualifying de Roland Garros, Bagnis venceu por 6-3 e 6-3. Em 2015, nos quartos de final do Challenger de Cortina, em Itália, o argentino liderava por 5-4 quando desistiu lesionado.
 
«O Roberto é um adversário muito difícil, muito sólido, típico espanhol, que luta muito, parecido ao nosso estilo na Argentina, e terei de jogar muito bem para ganhar-lhe», disse Facundo Bagnis, que ainda não perdeu qualquer set esta semana.
 
«É um jogador duro, que move bem a bola, pode jogar rápido mas com um efeito que dá peso à bola, mas vou lutar muito», prometeu, por seu lado, Carballés, ainda quando não sabia se seria Facundo Bagnis o seu adversário.
 
Entretanto, hoje já foram coroados os primeiros campeões do 3.º Lisboa Open, depois da disputa da final de pares. As "Torres Filipe", do austríaco Philipp Oswald (2,01 metros) e do eslovaco Filip Polásek (1,96 metros) conquistaram o seu segundo título seguido no ATP Challenger Tour. Depois de Roma na semana passada, foi a vez do CIF esta semana. Uma série de oito encontros seguidos sem perder.
 
Na final, Polásek (antigo 20.º classificado no ranking mundial de pares) e Oswald (ex-37.º na variante), os 4.º cabeças de série desta semana, derrotaram a dupla n.º3 da prova, dos argentinos Guido Andreozzi e Guillermo Durán, por 7-5 e 6-2, em uma hora e 16 minutos. Foi apenas o terceiro torneio desta dupla e antes dos dois títulos seguidos de Roma e Lisboa tinham chegado às meias-finais do Challenger de Francavilla, em Itália. Uma equipa com futuro apesar de serem jogadores de 33 anos.

Por Hugo Ribeiro
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Ténis

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.