Pedro Sousa derrotado na final de Buenos Aires

Português cai frente ao Casper Ruud por 6-1 e 6-4

Pedro Sousa perdeu este domingo a final do ATP Buenos Aires, na Argentina, com o norueguês Casper Ruud, por 6-1 e 6-4.

Pedro Sousa, 145.º do ranking ATP, entrou no torneio como lucky loser, após a saída do chileno Christian Garin, e só caiu na final, naquela que foi a sua primeira ATP na carreira. O português foi derrotado perante o 45.º do ranking, que tinha chegado à final após vencer ao argentino Juan Ignacio Londero. 

O português sofreu problemas físicos no gémeo esquerdo e o norueguês quebrou cedo o serviço de Sousa para 2-0 e encaminhar o primeiro set, que esteve interrompida (5-1 e 40-0) para atender uma pessoa desmaiada no estádio. No segundo set, Ruud quebrou o serviço do português logo no início. Pedro Sousa, com o apoio das bancadas ("Força Karlovic!") lutou até ao fim mas não evitou a derrota por 6-4.

Apesar do desfecho, foi uma semana de sonho para o lisboeta, já que na sua carreira nunca tinha chegado aos quartos-de-final de um torneio ATP. Na capital argentina não só consegui isso como  também chegou à primeira final de sempre. Venceu por 7-6 e 6-4 o brasileiro Thiago Monteiro (92º) e depois beneficiou pela ausência por lesão do argentino Diego Schwartzman. Peque, 14.º do mundo, finalista no Buenos Aires Lawn Tennis Club em 2019 e o melhor tenista argentino da atualidade, sofreu uma lesão muscular na vitória 5-7, 7-6 e 7-5 perante o uruguaio Pablo Cuevas, nos quartos-de-finais, e isso abriu a grande chance para o Pedro Sousa, de 31 anos, o terceiro português em chegar a uma final ATP, depois de João Sousa e Frederico Gil.

Até o Pedro Sousa ficou surpreso pela sua grande semana na capital argentina, já que depois dos 'quartos' perante Monteiro, onde sofreu uma lesão muscular no sólio, acabou a jogar uma final inédita neste torneio. O caminho a final foi 4-6, 6-2 e 6-3 perante o argentino Facundo Diaz Acosta, 7-6(3) e 7-6(5), o eslovaco Jozef Kovalik, 7-6(5) e 6-4 e ao brasileiro Thiago Monteiro e o walk over do argentino Diego Schwartzman.

O português, que jogou com uma ligadura na perna esquerda, só conhecia finais de Futures e Challengers, principalmente ao ser campeão em 2007 do torneio de Francavilla na Itália perante o local Alessandro Giannessi e finalista em Guayaquil 2013 e Tampere 2017. Também foi finalista em duplas com Frederico Gil em Rio de Janeiro 2012. 

O português não esquecerá jamais esta semana que também teve uma curiosidade: o seu treinador espanhol Rubén Ramirez Hidalgo tinha sido o último lucky loser em chegar tão longe em Buenos Aires: quartos-de-final de 2006.

Por Alejandro Panfil. Buenos Aires. Argentina
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Ténis

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.