Gastão Elias: «O que Carrillo faz não é por mal»

Tenista, que é adepto do Sporting, defende opção do peruano

• Foto: Paulo Calado

Adepto confesso do Sporting, Gastão Elias também é algum tempo amigo de André Carrillo, futebolista que recentemente se comprometeu para trocar o clube de Alvalade pelo Benfica. E, então, como reage um adepto dos leões a esta mudança, especialmente quando se trata de um amigo?

"É óbvio que o gostava de ver no Sporting. Acho-o um grande jogador, com muito talento, tem um grande futuro. É uma pena ele não continuar no Sporting, mas vejo pelo lado profissional dele também. Cada um está preocupado com o melhor para si, para sua carreira e, por isso, só tenho de o apoiar nas suas decisões. Claro que gostaria que ficasse no Sporting, mas continuarei sempre a gostar dele e do seu estilo de jogo", admitiu o tenista, em declarações a Record.

"É muito difícil quando uma pessoa viaja para outro país e começa a morar noutro país. Difícil aquele ditado do amor à camisola, é complicado. É a mesma coisa que se eu for jogar futebol para o Peru não vou ter aquela paixão por equipas de um país estrangeiro. E eu tento ver por esse lado. O que ele faz não é por mal e só está preocupado com a vida profissional dele e acho isso certo", frisou Gastão Elias, que esta tarde, em par com João Sousa, assegurou a passagem aos 'quartos', ao derrotar a dupla composta pelo espanhol Guillermo Garcia López e o brasileiro Rogério Dutra Silva.

La Culebra deixou umas dicas

Presente esta tarde no Estoril Open, onde aproveitou para tirar fotos ao lado de alguns jogadores do Benfica, Carrillo também esteve por breves instantes com Gastão, dando sequência a uma relação que já vem de outros tempos. "Já o tinha conhecido há um tempo. Já tínhamos almoçado umas vezes. Ficamos mais ou menos em contacto. Uma vez fui jogar no Peru, até o ganhei e pedi-lhe umas dicas, de restaurantes para comer e tudo. Foi sempre muito simpático e mantivemos o contacto. Hoje soube que ele estava aqui e vim cá cumprimentá-lo. Perguntei se tem gostado dos jogos que viu e basicamente foi isso", revelou.

E será que podíamos ter um duelo entre Gastão Elias e André Carrillo... com uma bola de futebol? "O futebol é perigoso para os joelhos, tornozelos... Para quem não tem jeito é perigoso", atirou, entre sorrisos, não fechando depois a porta a um possível encontro de pares entre os dois jogadores e as respetivas namoradas: "De ténis acho que ganhavamos. Nunca o vi jogar ténis, mas acredito que ele seja o elo mais fraco da dupla. Depois podíamos fazer uma troca e tentar o futebol."

Por Alexandra Beny
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Estoril Open

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.