Record

Mário Quina recordado pela prata nos JO de 1960

Ex-atleta fala em "momento único na vida"

Mário Quina recordado pela prata nos JO de 1960
Mário Quina recordado pela prata nos JO de 1960

Uma justa homenagem para mostrar "que não foram esquecidos, 50 anos depois", foi como Mário Quina justificou a cerimónia que a Associação de Atletas Olímpicos organiza na segunda-feira para recordar os representantes lusos dos Jogos de Roma'1960.

Mário Quina, de 81 anos, foi um desses homens e tem boas razões para recordar a competição transalpina, pois, juntamente com o irmão José Manuel, conquistou a medalha de prata da Classe Star em vela.

Uma bonita recordação a bordo de um barco com um nome que ficou famoso: "Chamava-se 'ma lindo'. Quando o comprei já tinha esse nome. Significava que teoricamente era o mais lindo de todos e eu achei piada ao nome e mantive-o".

O torneio de vela desenrolou-se na Baía de Nápoles. Mário Quina era o "leme" do barco e José Manuel Quina, cinco anos mais novo, estava à proa, mas o ouro acabou por fugir para os russos Timir Pinegin e Fyodor Shutkov.

"Nós estávamos bem equipados, mas uma regata destas é sempre muito imprevisível. Nós mantivemos quase todo o tempo um andamento muito razoável. O russo fez um percurso completamente diferente de toda a gente e foi quem ganhou", recorda.

Na memória de um feito olímpico ficam sempre muitas imagens. Mário Quina, que já foi presidente da Federação Portuguesa de Vela, lembra-se ainda da "grande alegria" e da emoção de ver o então reitor da Universidade de Lisboa "fazer grandes saudações" no barco do público.

"A cerimónia da medalha de prata foi muito emocionante, um momento único da vida, que me marcou muito", refere com alguma nostalgia o médico, que aos 81 anos ainda tem tempo e espírito para umas regatas de fim de semana com o seu Bavaria38.

Um sentimento que se transforma em quase lamento por Portugal não ter voltado a conquistar o galardão de prata: "Tenho pena, porque há 60 anos que estou à espera que alguém ganhe outra medalha de prata na vela e até agora só o Hugo Rocha e o Nuno Barreto é que conseguiram a de bronze em Atlanta, mas mais nenhuma de prata".

Em relação ao futuro, Quina considera que a vela nacional pode ambicionar a medalhas nos Jogos Olímpicos de Londres2012 e garante que as duas tripulações que competem em Star, lideradas por Afonso Domingos e Gustavo Lima, até podem chegar ao ouro.

"Qualquer dos dois é muito bom. Já podiam ter ganho alguma coisa anteriormente. Têm conseguido bons resultados em grandes regatas internacionais e tenho esperança que os Jogos de Londres me tragam um sucessor, ou até alguém que consiga o ouro", sublinhou.

A iniciativa de homenagem aos atletas dos Jogos de Roma'1960 partiu da Associação de Atletas Olímpicos de Portugal e vai realizar-se na segunda-feira na sede do Comité Olímpico de Portugal (COP).

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Vela

Notícias

Notícias Mais Vistas