Gersinho: «Vamos aos quartos de final, que era um dos objetivos»

Treinador do Sporting satisfeito com a qualificação da equipa para a próxima fase da Taça Challenge, apesar da derrota

• Foto: Pedro Ferreira

O Sporting perdeu (2-3) com o Kladno, em jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça Challenge de voleibol, num encontro disputado esta terça-feira no Pavilhão João Rocha.

Apesar da derrota, os leões carimbaram a presença na próxima fase da prova, motivo que deixa Gersinho, treinador do conjunto leonino satisfeito, mas de pé atrás.

"A passagem é excelente, vamos aos quartos de final, que era um dos objetivos. O jogo tinha uma armadilha e caímos nela. Queríamos ganhar o jogo, mas a equipa relaxou. Os jogadores têm sofrido lesões e é preciso pensar no resto da competição. Tive de tirar alguns jogadores importantes para poupá-los. Conversámos com o grupo durante a semana que queríamos ganhar o jogo, apesar de dois sets serem suficientes. Apesar da derrota não ter o peso da desqualificação, é uma derrota e a equipa tem de ganhar sempre. A motivação tem de ser o princípio básico da equipa. A equipa tem de ter uma referência para onde quer chegar. Ter mentalidade vencedora é querer ganhar sempre, a qualquer momento", apontou o técnico leonino no final do encontro.

Crescimento da equipa dá aso a oscilações exibicionais

"A minha equipa tem mais técnica do que força. Assim, tem de se jogar com a cabeça. Talvez seja esse o limite da equipa, mas tem de perceber que tem de trabalhar o tempo todo, senão isso prejudica. A equipa está a ser construída, mantém alguns do ano passado, mas também jogadores diferentes. Até chegar a esse consenso, é preciso tempo. Temos de achar o casamento perfeito da situação."

Próximo adversário

"Não temos preferência do adversário. Obviamente, se fosse uma equipa que tivesse um pavilhão bom, seria melhor. Só jogámos com equipas com pavilhões difíceis, de teto baixo."

Objetivo traçado na prova

"O objetivo do Sporting é chegar às finais da Taça Challenge. Temos de perceber que há adversários difíceis na prova, que têm grandes orçamentos, no mínimo três vezes o nosso. O Sporting tem a convicção de que quer chegar às finais e, aí, lutar para vencer. Sabemos da dificuldade que é vencer, é uma limitação de orçamentos e de peças, mas isso não impede a vitória", concluiu.

Já Milan Fortunik, treinador do Kladno, lamentou a performances da equipa, afirmando mesmo que foram "a pior equipa": "Estamos felizes pela vitória, mas estamos a lidar com situações difíceis e lesões, as nossas performances não são estáveis, com altos e baixos, mesmo na liga, e não estamos felizes com isso. Fomos a pior equipa. Contudo, nos últimos dois sets quisemos mais ganhar, mas sabíamos que já estava decidido".

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Voleibol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.