Há orçamentos para muitos estrangeiros

Benfica, Sporting e sobretudo a Fonte do Bastardo investem forte no mercado internacional

Letão Aleksandrs Kudrjasovs é reforço da Fonte do Bastardo
• Foto: DR Record

A próxima temporada do voleibol nacional vai ser certamente uma das que terá mais estrangeiros. O mercado está ao rubro, sobretudo envolvendo três equipas: o campeão nacional, Benfica, a Fonte do Bastardo e o Sporting, que está de regresso à modalidade, mais de 20 anos depois.

A volta dos leões, que têm entrada direta na 1ª Divisão, não é certamente alheia à grande agitação do mercado, estando-se a construir em Alvalade uma equipa com grande parte dos seus jogadores já em idade avançada, mas com muita experiência internacional, o que é sem dúvida uma mais-valia. O Sporting já tem praticamente a formação concluída, sendo que, entre os jogadores já confirmados, cinco são estrangeiros: destes destaca-se, por exemplo, Iván Márquez, venezuelano de 35 anos, conhecido no meio por ‘La Bomba’, devido ao seu poderoso serviço. No plantel leonino há um brasileiros, um cubano e um argentino, países onde o voleibol tem grande tradição e palmarés.

Dado o investimento do Sporting em fazer uma equipa que lute pelo título no primeiro ano – não esquecer que os outros reforços são meia equipa do Sp. Espinho que disputou a final do playoff –, Benfica e Fonte do Bastardo não quiserem perder o comboio, contratando também muitos estrangeiros... sobretudo a formação açoriana.

Do Brasil à Letónia

Na Ilha Terceira, na próxima época, vão competir brasileiros, um espanhol, um letão e um estónio. São estas as nacionalidades dos oito (!) estrangeiros já anunciados pela equipa treinada por João José, campeã nacional na temporada de 2015/2016, ‘caindo’ em 2016/2017 nas meias-finais do playoff. Acrescenta-se às caras novas as continuidades do cabo-verdiano Gerson Pereira e de outro brasileiro, Caíque Silva...

Mas na Luz a coisa não se fez por menos. Os encarnados anunciaram até à data quatro reforços estrangeiros, sendo dois deles sérvios, um búlgaro e um brasileiro.

Bem mais discreto tem sido para já o investimento do Sp. Espinho, finalista derrotado no playoff do título. Os tigres sofreram um rude golfe com a saída de metade da equipa para o Sporting, tendo já anunciado alguns reforços, todos porém portugueses, com destaque para Roberto Reis, que deixou a Luz. Mas assegurou a continuidade do venezuelano José Rojas, do cabo-verdiano Hélio Sanches e do brasileiro Everton Almeida.

João José diz que os portugueses não chegam

João José diz que há "duas razões" para tantos estrangeiros na sua equipa. "Não há muitos portugueses disponíveis com o nível que queremos e os que haviam já estavam comprometidos. Outros não aceitam fazer do voleibol carreira e estamos numa ilha. Até aceito este argumento, perante o panorama do desporto nacional."

O treinador da Fonte do Bastardo reconhece que o regresso dos leões "condicionou o mercado" e que o orçamento da sua equipa "está muito abaixo do Benfica e Sporting". "É mais ou menos o mesmo de anos anteriores, com despesas um pouco maiores com as inscrições."

E está a ser construído um plantel para atacar o título? "Temos constrangimentos que outros não têm: mais viagens, jornadas duplas, uma equipa nova." E o Sporting, que regressa? "Equipa nova só no nome e se o treinador decidir colocar os estrangeiros a jogar", frisou irónico.

Por Ana Paula Marques
7
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Voleibol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.