Hugo Silva: «O Valdir entrou e ajudou muito a equipa»

Selecionador nacional aponta um dos fatores decisivos para o triunfo sobre o Japão

• Foto: Arquivo/Amândia Queirós

Portugal arrancou um triunfo sofrido, por 3-2, frente ao Japão, num encontro da 2.ª jornada da Liga Mundial em que Hugo Silva, o selecionador nacional, admitiu as dificuldades da equipa das quinas. Mas, apesar das contrariedades, o treinador português sublinhou a excelente resposta dada pelos jogadores.

"Temos uma equipa limitada em termos de soluções e a partir do momento em que o Marcel Gil se lesiona no primeiro ponto ficou complicado. Acabámos por responder bem no primeiro 'set', mas, depois, acabou por ter alguma influência no desenrolar do jogo. Isso mexeu um pouco com a nossa cabeça. O jogo teve que mudar em função das características diferentes do Phelipe e do Marcel. Isso foi um dos momentos do jogo. O outro foi a entrada do Valdir para o serviço, num 'set' que a maioria das pessoas já dava como perdido para nós. O Valdir entrou e ajudou muito a equipa", começou por referir o técnico.

"Apesar de a seleção ter algumas limitações em termos de soluções toda a gente é útil. O Valdir teve uma maturidade tremenda e arrisco dizer que foi ele que ganhou o jogo. Amanhã [domingo, frente à Eslováquia] vai ser difícil. Mas a equipa tem vontade e nunca desiste. Amanhã é um jogo difícil, mas vamos lutar por deixar a melhor imagem possível e vamos querer também pontuar", concluiu.

Já Valdir Sequeira lembrou que é preciso trabalhar mais. "Foi um jogo fisicamente desgastante, tal como o de ontem [sexta-feira]. A nível de equipa demonstramos que somos claramente superiores, só que não conseguimos transportar essa superioridade em campo. Temos que trabalhar o coletivo, pois ficámos muito nervosos quando estamos lá dentro. Amanhã vai ser diferente, vai ser muito difícil. O favorito deste torneio é a Eslováquia, mas nada é impossível", frisou.

Por outro lado, Marco Ferreira referiu que a falta de experiência de alguns jogadores acabou por passar fatura frente ao João. "Nós gostamos muito de complicar as coisas fáceis, podíamos ter conquistado aqui três pontos, mas temos ainda alguns elementos que não têm experiência para jogar estas competições e houve alguns momentos em que facilitamos. E eles [seleção japonesa] são uma equipa aguerrida e acreditaram. Hoje podíamos ter tornado as coisas fáceis, mas complicámos sem necessidade nenhuma", lembrou.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Voleibol

Notícias

Notícias Mais Vistas