Hugo Silva: «Valor do Roberto Reis é indiscutível»

Revela que o jogador do Benfica mostrou vontade em regressar à Seleção

• Foto: Manuel Araújo

O selecionador nacional explicou ao nosso jornal as razões pelas quais o nome de Roberto Reis está entre os 25 pré-convocados da Seleção Nacional, depois de uma ausência de quase dez anos. "Na verdade, comigo, nunca houve qualquer incompatibilidade. O valor do Roberto é indiscutível, só que o facto de competir na praia impedia-o de estar na Seleção Nacional", começou por dizer Hugo Silva. "Como ele deixou de o fazer o ano passado, a Federação abordou-o agora para saber da sua disponibilidade e vontade para regressar. A abordagem foi positiva, agora vamos ver se realmente há essa disponibilidade."

Para o técnico, há outras situações a avaliar entre os 25 pré-convocados, de onde sairão, no início de maio, os 19 ou 20 que formarão o grupo tendo em vista a participação na Liga Mundial, em junho/julho, e depois, em setembro, o apuramento para o Europeu. "Por exemplo, a situação do Hugo Gaspar. Ele é médico, temos de ver se terá dispensa do hospital para estar na Seleção Nacional."

Equilíbrio necessário

Nos últimos anos e com as saídas de nomes que fizeram história na Seleção – o último adeus foi o de João José em 2015 –, muito se tem falado da necessária renovação. Mas até que ponto ela tem sido feita quando se convoca jogadores com mais de 35 anos, como é o caso de Roberto Reis, e outros a caminharem para lá, como Fabrício Silva ou Valdir Sequeira?

"Vimos recentemente a dificuldade de a Seleção júnior ser competitiva. Há juniores que agora estão nos pré-convocados dos seniores, mas é necessário que jogadores mais experientes também lá estejam", explicou Hugo Silva, para quem é necessário também olhar aos resultados, pois Portugal é este ano anfitrião da final-four da Liga Mundial, além de disputar em setembro o apuramento para o Campeonato da Europa "A renovação está lá, mas o equilíbrio é necessário."

Pinheiro alegou lesão para ausência

Tal como o ano passado, a Seleção volta a não contar com um dos mais experientes jogadores e que há anos atua no estrangeiro. Trata-se do distribuidor Nuno Pinheiro, que joga no Noliko, na Bélgica. "Mandou-nos um mail a solicitar dispensa alegando uma lesão que o impede de estar a cem por cento na Seleção", explicou Hugo Silva, revelando ainda que o atacante da Fonte do Bastardo João Simões estava também nos planos da equipa técnica, mas recusou a chamada porque "vai jogar na praia". Os trabalhos da Seleção Nacional começam a 9 de maio, em Vila Flor, e já contam com a presença do brasileiro Francisco dos Santos, que vai integrar a equipa técnica pelo menos até ao final da Liga Mundial.

Por Ana Paula Marques
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Voleibol

Notícias

Notícias Mais Vistas