Polícia finlandesa deteve oito voleibolistas cubanos por suspeita de crimes sexuais

Quatro jogadores já tinham sido detidos sábado

A polícia finlandesa deteve este domingo quatro jogadores cubanos de voleibol, aumentando para oito o número de elementos da seleção suspeitos de crimes sexuais, no dia em que derrotaram Portugal por 3-2.

No sábado, três jogadores da seleção cubana de equipa que foram detidos no sábado, por, alegadamente, terem violado uma mulher na sexta-feira, no hotel onde está instalada a comitiva cubana, em Tampere, a cerca de 180 quilómetros de Helsínquia.

Após denúncia da vítima e das primeiras investigações, a polícia finlandesa deteve três voleibolistas durante a manhã de sábado, impossibilitando que esses jogadores alinhassem no embate com a Finlândia, que venceu por 3-1, em jogo da 'poule' I2 da fase intercontinental da Liga Mundial.

Durante a manhã de hoje foi detido um quarto elemento da seleção, levando a que Cuba apresentasse apenas oito jogadores frente a Portugal, no terceiro e último jogo da 'poule'.

Depois da vitória frente à seleção lusa, a polícia finlandesa deteve, no centro de desportos de Tampere, outros quarto jogadores por alegadamente terem participado na violação dessa mesma mulher.

"A polícia investiga o caso de presumível delito grave de violação. Não vamos dar mais detalhes sobre o caso neste momento", indicaram as autoridades polícias finlandesas, em comunicado.

Segundo a lei finlandesa, um juiz deverá determinar após 72 horas das detenções se os suspeitos são libertados com ou sem medidas de coação ou se terão de aguardar julgamento em prisão preventiva.

Cuba venceu hoje Portugal por 3-2, pelos parciais de 25-19, 22-25, 25-19, 20-25 e 15-9.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Voleibol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.