A garagem de luxo que Mike Tyson 'perdeu' em leilão

Um Cadillac Eldorado dourado para o “menino de ouro” há 35 anos
A paixão precoce por automóveis de luxo reflectiu-se, no final de 1985, com a oferta de um Cadillac Seville. O coupé foi oferecido pelo seu empresário Jim Jacobs, pouco depois da morte de Cus d’Amato, treinador do pugilista desde os seus tempos como amador.
Na Primavera de 1987, Mike Tyson decidiu que tinha de ter um Rolls-Royce, depois de juntar o título de campeão mundial WBA ao do WBC
O empresário Jim Jacobs aconselhou-o a esperar até fazer 21 anos, que o pugilista cumpriu. A 30 de Junho, no dia do seu aniversário, entrou num ‘stand’ da Rolls-Royce em Manhattan e “bateu” 119.500 dólares (108 mil euros) para levar um Silver Spur azul.
Mike Tyson ganhou mais um Rolls-Royce quando, em Agosto de 1987, juntou o título de campeão IBF (International Boxing Federation) às coroas do WBC e do WBA.
Desta vez escolheu um Rolls-Royce Corniche, avaliado, à época, em 165 mil dólares (cerca de 149 mil euros).
Em pouco menos de três anos, Mike Tyson chegou aos píncaros da carreira, até Don King entrar em cena em 1988. O promotor de combates de boxe segurou o “menino de ouro” com um Rolls-Royce Stretch Limousine preto de 198 mil dólares (pouco mais de 178 mil euros).
 poucos meses depois, Don King ofereceu-lhe mais um Rolls-Royce Corniche, para substituir o Bentley que entretanto tinha comprado, depois de o “espetar” contra um carro estacionado. Com apenas 22 anos de idade, o tricampeão já tinha quatro modelos da marca de luxo na sua garagem.
Em 1989, brindou-se com um Mercedes 560 SL branco.
Aparentemente, a compra deste descapotável, equipado com um bloco V8 de 5.6 litros e 300 cv de potência, terá sido influenciado pelo amigo Tupac Shakur, assassinado em 1996.
A década de 90 não começou bem para Tyson, ao perder, logo em Fevereiro, os cinturões de campeão da WBF, WBC e WBA para James ‘Buster’ Douglas… mas já tinha outro Mercedes na colecção. Agora era um 500 SL equipado com telefone móvel, uma raridade naquela altura.
O Mercedes 500 SL foi apreendido pela polícia
Em 1996, Tyson sai da prisão com os olhos revirados pelos supercarros da Ferrari, após cumprir, entre 1992 e 1995, três dos seis anos a que foi condenado por violação.
O Pior Homem do Planeta’ compra um Ferrari F50 e um Ferrari 456 GT Spyder.
Tyson também ficou conhecido pela sua habilidade - ou a falta dela! - ao volante, quando teve um acidente com um dos Ferrari; nunca se chegou a perceber bem com qual é que foi!
“Não sabia conduzir um Ferrari”, explicando que engrenou a marcha-atrás por engano. “O carro atravessou a montra de uma loja. Foi a minha detenção favorita!”, explicou em 2014 numa entrevista.
Em Setembro de 1996, reconquista o título WBA contra Bruce Seldon e presenteia-se com um brutal Lamborghini Diablo.
Em Novembro, Tyson lambe as lágrimas da derrota com o Bentley Continental GT, depois de perder o cinturão de campeão WBA contra Evander Holyfield.
Entre 1999 e 2002, e com a carreira a eclipsar-se, o pugilista gastou de forma alarve os quase 27 milhões de euros ganhos na derrota contra o “homem que ficou sem a orelha”.
Ainda em 2000, opta por um exclusivo Jaguar XJ 220, um dos super carros mais exclusivos naquela época.
Tyson largou 450 mil euros por um Bentley Continental SC.
Com uma potência superior a 425 cv, foi um dos 73 exemplares produzidos… Foi também a última grande compra do pugilista pouco antes de a sua carreira entrar num ocaso irreversível.
Entre os carros menos conhecidos que Tyson guardou na sua extremosa garagem esteve igualmente um Jaguar E-Type.
A paixão do pugilista pela Rolls-Royce manteve-se, comprando ainda na década de 90 um Silver Spirit.
O raro Lamborghini LM002 foi um dos peculiares brinquedos que comprou e que, entretanto, ficou esquecido.
Carros grandes para levar todos os amigos para o ringue, terá pensado o pugilista quando comprou um Cadillac Escalade.
Sendo um dos ‘todo o terreno’ mais populares junto das figuras públicas, não foi uma surpresa quando Tyson decidiu que tinha de ter um Hummer H2.
BMW 850i
Tyson limitou-se a acrescentar à sua colecção um Porsche 911 Carrera Speedster
Uma das suas compras mais memoráveis foi o Ferrari Testarossa, um super desportivo que marcou os anos 90 de forma indelével.
Um Cadillac Eldorado dourado para o “menino de ouro” há 35 anos
A paixão precoce por automóveis de luxo reflectiu-se, no final de 1985, com a oferta de um Cadillac Seville. O coupé foi oferecido pelo seu empresário Jim Jacobs, pouco depois da morte de Cus d’Amato, treinador do pugilista desde os seus tempos como amador.
Na Primavera de 1987, Mike Tyson decidiu que tinha de ter um Rolls-Royce, depois de juntar o título de campeão mundial WBA ao do WBC
O empresário Jim Jacobs aconselhou-o a esperar até fazer 21 anos, que o pugilista cumpriu. A 30 de Junho, no dia do seu aniversário, entrou num ‘stand’ da Rolls-Royce em Manhattan e “bateu” 119.500 dólares (108 mil euros) para levar um Silver Spur azul.
Mike Tyson ganhou mais um Rolls-Royce quando, em Agosto de 1987, juntou o título de campeão IBF (International Boxing Federation) às coroas do WBC e do WBA.
Desta vez escolheu um Rolls-Royce Corniche, avaliado, à época, em 165 mil dólares (cerca de 149 mil euros).
Em pouco menos de três anos, Mike Tyson chegou aos píncaros da carreira, até Don King entrar em cena em 1988. O promotor de combates de boxe segurou o “menino de ouro” com um Rolls-Royce Stretch Limousine preto de 198 mil dólares (pouco mais de 178 mil euros).
 poucos meses depois, Don King ofereceu-lhe mais um Rolls-Royce Corniche, para substituir o Bentley que entretanto tinha comprado, depois de o “espetar” contra um carro estacionado. Com apenas 22 anos de idade, o tricampeão já tinha quatro modelos da marca de luxo na sua garagem.
Em 1989, brindou-se com um Mercedes 560 SL branco.
Aparentemente, a compra deste descapotável, equipado com um bloco V8 de 5.6 litros e 300 cv de potência, terá sido influenciado pelo amigo Tupac Shakur, assassinado em 1996.
A década de 90 não começou bem para Tyson, ao perder, logo em Fevereiro, os cinturões de campeão da WBF, WBC e WBA para James ‘Buster’ Douglas… mas já tinha outro Mercedes na colecção. Agora era um 500 SL equipado com telefone móvel, uma raridade naquela altura.
O Mercedes 500 SL foi apreendido pela polícia
Em 1996, Tyson sai da prisão com os olhos revirados pelos supercarros da Ferrari, após cumprir, entre 1992 e 1995, três dos seis anos a que foi condenado por violação.
O Pior Homem do Planeta’ compra um Ferrari F50 e um Ferrari 456 GT Spyder.
Tyson também ficou conhecido pela sua habilidade - ou a falta dela! - ao volante, quando teve um acidente com um dos Ferrari; nunca se chegou a perceber bem com qual é que foi!
“Não sabia conduzir um Ferrari”, explicando que engrenou a marcha-atrás por engano. “O carro atravessou a montra de uma loja. Foi a minha detenção favorita!”, explicou em 2014 numa entrevista.
Em Setembro de 1996, reconquista o título WBA contra Bruce Seldon e presenteia-se com um brutal Lamborghini Diablo.
Em Novembro, Tyson lambe as lágrimas da derrota com o Bentley Continental GT, depois de perder o cinturão de campeão WBA contra Evander Holyfield.
Entre 1999 e 2002, e com a carreira a eclipsar-se, o pugilista gastou de forma alarve os quase 27 milhões de euros ganhos na derrota contra o “homem que ficou sem a orelha”.
Ainda em 2000, opta por um exclusivo Jaguar XJ 220, um dos super carros mais exclusivos naquela época.
Tyson largou 450 mil euros por um Bentley Continental SC.
Com uma potência superior a 425 cv, foi um dos 73 exemplares produzidos… Foi também a última grande compra do pugilista pouco antes de a sua carreira entrar num ocaso irreversível.
Entre os carros menos conhecidos que Tyson guardou na sua extremosa garagem esteve igualmente um Jaguar E-Type.
A paixão do pugilista pela Rolls-Royce manteve-se, comprando ainda na década de 90 um Silver Spirit.
O raro Lamborghini LM002 foi um dos peculiares brinquedos que comprou e que, entretanto, ficou esquecido.
Carros grandes para levar todos os amigos para o ringue, terá pensado o pugilista quando comprou um Cadillac Escalade.
Sendo um dos ‘todo o terreno’ mais populares junto das figuras públicas, não foi uma surpresa quando Tyson decidiu que tinha de ter um Hummer H2.
BMW 850i
Tyson limitou-se a acrescentar à sua colecção um Porsche 911 Carrera Speedster
Uma das suas compras mais memoráveis foi o Ferrari Testarossa, um super desportivo que marcou os anos 90 de forma indelével.
Um Cadillac Eldorado dourado para o “menino de ouro” há 35 anos
A paixão precoce por automóveis de luxo reflectiu-se, no final de 1985, com a oferta de um Cadillac Seville. O coupé foi oferecido pelo seu empresário Jim Jacobs, pouco depois da morte de Cus d’Amato, treinador do pugilista desde os seus tempos como amador.
Na Primavera de 1987, Mike Tyson decidiu que tinha de ter um Rolls-Royce, depois de juntar o título de campeão mundial WBA ao do WBC
O empresário Jim Jacobs aconselhou-o a esperar até fazer 21 anos, que o pugilista cumpriu. A 30 de Junho, no dia do seu aniversário, entrou num ‘stand’ da Rolls-Royce em Manhattan e “bateu” 119.500 dólares (108 mil euros) para levar um Silver Spur azul.
Mike Tyson ganhou mais um Rolls-Royce quando, em Agosto de 1987, juntou o título de campeão IBF (International Boxing Federation) às coroas do WBC e do WBA.
Desta vez escolheu um Rolls-Royce Corniche, avaliado, à época, em 165 mil dólares (cerca de 149 mil euros).
Em pouco menos de três anos, Mike Tyson chegou aos píncaros da carreira, até Don King entrar em cena em 1988. O promotor de combates de boxe segurou o “menino de ouro” com um Rolls-Royce Stretch Limousine preto de 198 mil dólares (pouco mais de 178 mil euros).
 poucos meses depois, Don King ofereceu-lhe mais um Rolls-Royce Corniche, para substituir o Bentley que entretanto tinha comprado, depois de o “espetar” contra um carro estacionado. Com apenas 22 anos de idade, o tricampeão já tinha quatro modelos da marca de luxo na sua garagem.
Em 1989, brindou-se com um Mercedes 560 SL branco.
Aparentemente, a compra deste descapotável, equipado com um bloco V8 de 5.6 litros e 300 cv de potência, terá sido influenciado pelo amigo Tupac Shakur, assassinado em 1996.
A década de 90 não começou bem para Tyson, ao perder, logo em Fevereiro, os cinturões de campeão da WBF, WBC e WBA para James ‘Buster’ Douglas… mas já tinha outro Mercedes na colecção. Agora era um 500 SL equipado com telefone móvel, uma raridade naquela altura.
O Mercedes 500 SL foi apreendido pela polícia
Em 1996, Tyson sai da prisão com os olhos revirados pelos supercarros da Ferrari, após cumprir, entre 1992 e 1995, três dos seis anos a que foi condenado por violação.
O Pior Homem do Planeta’ compra um Ferrari F50 e um Ferrari 456 GT Spyder.
Tyson também ficou conhecido pela sua habilidade - ou a falta dela! - ao volante, quando teve um acidente com um dos Ferrari; nunca se chegou a perceber bem com qual é que foi!
“Não sabia conduzir um Ferrari”, explicando que engrenou a marcha-atrás por engano. “O carro atravessou a montra de uma loja. Foi a minha detenção favorita!”, explicou em 2014 numa entrevista.
Em Setembro de 1996, reconquista o título WBA contra Bruce Seldon e presenteia-se com um brutal Lamborghini Diablo.
Em Novembro, Tyson lambe as lágrimas da derrota com o Bentley Continental GT, depois de perder o cinturão de campeão WBA contra Evander Holyfield.
Entre 1999 e 2002, e com a carreira a eclipsar-se, o pugilista gastou de forma alarve os quase 27 milhões de euros ganhos na derrota contra o “homem que ficou sem a orelha”.
Ainda em 2000, opta por um exclusivo Jaguar XJ 220, um dos super carros mais exclusivos naquela época.
Tyson largou 450 mil euros por um Bentley Continental SC.
Com uma potência superior a 425 cv, foi um dos 73 exemplares produzidos… Foi também a última grande compra do pugilista pouco antes de a sua carreira entrar num ocaso irreversível.
Entre os carros menos conhecidos que Tyson guardou na sua extremosa garagem esteve igualmente um Jaguar E-Type.
A paixão do pugilista pela Rolls-Royce manteve-se, comprando ainda na década de 90 um Silver Spirit.
O raro Lamborghini LM002 foi um dos peculiares brinquedos que comprou e que, entretanto, ficou esquecido.
Carros grandes para levar todos os amigos para o ringue, terá pensado o pugilista quando comprou um Cadillac Escalade.
Sendo um dos ‘todo o terreno’ mais populares junto das figuras públicas, não foi uma surpresa quando Tyson decidiu que tinha de ter um Hummer H2.
BMW 850i
Tyson limitou-se a acrescentar à sua colecção um Porsche 911 Carrera Speedster
Uma das suas compras mais memoráveis foi o Ferrari Testarossa, um super desportivo que marcou os anos 90 de forma indelével.
Durante quase 20 anos, Mike Tyson colecionou uma série de carros exclusivos até que, em 2003, foram leiloados e vendidos a museus automóveis, quando declarou a bancarrota por dívidas superiores a 16 milhões de euros, como dá conta o Aquela Máquina
1
Deixe o seu comentário

Pub

Publicidade
1
Deixe o seu comentário

Mais Vistas

Últimas Notícias

Notícias

Fotogalerias

Fotogalerias

Sporting

Fotogalerias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0