Yony González é o caso mais recente: foram contratados pelo Benfica mas nunca jogaram

Patric - Lateral direito - Transferiu-se do Brasa para o Benfica em 2009/10, por 2 milhões de euros. Posteriormente, foi emprestado ao Cruzeiro e Avaí, tendo saído das águias em 2011, por 1 milhão de euros para o Atlético-MG.
Élvis - Médio ofensivo - A custo zero chegou, a custo zero saiu. Chegou ao Benfica em 2010/11 proveniente dos brasileiros do Paraná. Pela formação secundária das águias somou cinco jogos, num total de 150 minutos, mas nunca chegou à equipa principal. Após sucessivos empréstimos, saiu da Luz em 2013, para os brasileiros do Tombense.
Djaniny - Avançado - Contratado à UD Leiria em 2011/12 por 300 mil euros, este avançado passou pela Luz sem quase ninguém dar por isso. Foi emprestado ao Olhanense antes de rumar em definitivo, por 1.2 milhões ao Nacional, em 2013. Realizou alguns jogos pela equipa B dos encarnados.
Daniel Wass - Lateral direito - Um dos casos de sucesso após sair do Benfica. Chegou à Luz em 2011/12 a custo zero, proveniente do IF Brondby e, apesar de lhe ter sido depositado algum crédito, nunca chegou a vestir a camisola das águias. Saiu no ano seguinte para os franceses do Thonon Évian, por 1.2 milhões de euros. Atualmente, joga no Valencia e esta temporada já leva um golo e cinco assistências em 21 jogos na La Liga.
Michel - Avançado - Depois de ter dado nas vistas no FC Penafiel e no Paços de Ferreira, Michel chegou à Luz visto como uma contratação de futuro para a frente de ataque da equipa. Contudo, nunca chegou a ter a oportunidade de vestir a camisola das águias. Foi emprestado ao Sp. Braga e ao Al Wakrah antes de sair do clube a custo zero em 2014.
Hugo Vieira - Extremo - Era uma das figuras do Gil Vicente. Contratado em 2012, o extremo português nunca chegou a vestir a camisola dos encarnados por via da quantidade de jogadores para as alas que o plantel dispunha. Foi, entretanto, cedido a clubes como o Real Sporting, Gil Vicente e Sp. Braga, tendo saído em 2013 para os bracarenses. Voltou ao campeonato português esta temporada, pelas mãos do Gil Vicente.
Derlis González - Extremo esquerdo - Internacional pelo Paraguai em 34 ocasiões, Derlis não pode gabar-se de uma boa passagem pelo emblema da Luz. Chegou ao Benfica em 2012, proveniente do Rubio Ñú, diretamente para a equipa B, onde realizou dez encontros e apontou oito golos. Contou com cedências ao Club Guaraní e ao Olimpia, antes de sair, em 2014, para o Basileia por 3 milhões de euros.
Luís Fariña - Médio ofensivo - Contratado ao Racing Club, em 2013, com o rótulo de craque, Fariña não convenceu durante a pré-temporada e acabou emprestado ao FC Baniyas, dos Emirados Árabes Unidos. Esteve contratualmente ligado aos encarnados até 2017, altura em que rescindiu com as águias. Durante esse período contou com empréstimos a Deportivo, Rayo Vallecano, Universidad de Chile e Asteras Tripoli.
Stefan Mitrovic - Defesa central - Chegou ao Benfica em 2013, contratado por 1.1 milhões de euros aos belgas do KV Kortrijk. Realizou oito jogos pela equipa B das águias, mas nunca chegou à equipa principal. Foi vendido no ano seguinte aos alemães do Friburgo por 1.5 milhões de euros. Atualmente está nos franceses do Estrasburgo, onde já realizou 28 partidas esta temporada e apontou um golo.
Jorge Rojas - Extremo direito - Era visto como um jogador promissor, mas... nunca chegou a sê-lo. Contratado aos paraguaios do Cerro Porteño em 2013, por 1.25 milhões de euros, o extremo contou apenas com alguns jogos pela formação secundária das águias, tendo posteriormente sido emprestado. Saiu em definitivo do clube da Luz em 2016, para o... Cerro Porteño.
Luís Felipe - Lateral direito - O Benfica contratou, em 2014, este lateral brasileiro ao Palmeiras por 2 milhões de euros, mas não teve muito sucesso. Desde a sua chegada à Luz, não somou nem um minuto pelas águias, tendo contado com vários empréstimos sucessivos: Criciúma, Joinville-SC, Paysandu, Rio Claro e ainda Oeste FC, antes de sair a custo zero para o V. Setúbal, em 2017.
Djavan - Lateral esquerdo - Foi um verdadeiro caso de insucesso instantâneo. Chegou ao Benfica em julho de 2014 e saiu... em agosto do mesmo ano. Atualmente representa o Moreirense.
Daniel Candeias - Extremo - Chegou ao Benfica em 2014, depois de ter dado créditos já no campeonato português, principalmente ao serviço do Nacional e Portimonense. Pelas águias não registou nenhum jogo, tendo somado apenas empréstimos. Nuremberga, Granada, Metz e Antalyaspor foram os clubes por onde passou durante esse período, antes de rumar à Escócia, para representar o Rangers a título definitivo.
Pawel Dawidowicz - Médio defensivo - Visto como o sucessor de Matic no meio-campo do Benfica, este jovem polaco nunca chegou a ter a oportunidade de se mostrar pela equipa principal das águias. Contratado em 2014, aos polacos do KS Lechia, Dawidowicz contou com empréstimos aos alemães do Bochum, aos italiano do Palermo e aos Hellas Verona, clube que acabou por pagar, em 2019, 3.5 milhões de euros pelo médio.
Dolly Menga - Avançado - Mais um caso de insucesso no Benfica. Chegou à Luz em 2014, proveniente dos belgas do Lierse SK, tendo somado 12 jogos pela formação B das águias, sem qualquer golo. Saiu no ano seguinte para o Sp. Braga por valores desconhecidos.
Jhon Murillo - Extremo esquerdo - Transferiu-se para o Benfica em 2015, proveniente dos venezuelanos do Zamora FC, por cerca de 750 mil euros. Contou com empréstimos ao Tondela e Kasimpasa antes de ingressar na formação tondelense em definitivo, em 2018. Pela equipa principal das águias não somou qualquer encontro realizado.
Marçal - Lateral esquerdo - Deu nas vistas no Nacional e rumou à Luz, em 2015, a custo zero. Apesar de ter realizado algumas pré-temporadas nas águias, não conseguiu convencer e foi cedido ao Gaziantepspor e ao Guingamp, onde voltou a dar nas vistas. As boas exibições na Ligue 1 despertaram o interesse do Lyon no lateral brasileiro, que ainda valeu um encaixe de 4.5 milhões de euros ao Benfica, apesar de nunca ter realizado qualquer partida oficial pelas águias.
Pedro Nuno - Médio centro - Fez a formação no Benfica, mas saiu antes de se tornar sénior, em 2014, para a Académica de Coimbra, clube onde permaneceu até 2017. Nesse ano, voltou para representar os encarnados, mas nunca chegou a vestir a camisola da equipa principal. Pedro Nuno foi posteriormente cedido ao Tondela, antes de sair em 2018 a custo zero para o Moreirense.
Diego Lopes - Médio ofensivo - Mais um jogador que fez parte da formação no Benfica. Chegou à Luz em 2008, proveniente das escolas do Palmeiras, mas acabou por sair em definitivo em 2013 para o Rio Ave. Após duas boas temporadas ao serviço dos vila-condenses, Diego Lopes voltou ao Benfica e, quando se pensava que iria ser aposta, acabou por não singrar. Foi emprestado ao Kayserispor, ao América-MG e ao Panetolikos, antes de voltar, em definitivo, ao Rio Ave.
João Amaral - Extremo direito - Chegou ao Benfica em 2017, proveniente do Vitória de Setúbal, clube onde permaneceu emprestado até junho de 2018. Custou às águias cerca de 600 mil euros, mas acabou por sair para os polacos do Lech Poznan por 350 mil, sem somar quando jogo com a camisola principal das águias.
Patrick - Lateral direito - Um negócio que nem os adeptos das águias perceberam. Patrick foi contratado pelo Benfica em 2017, proveniente do Marítimo, tendo sido emprestado ao Vitória de Setúbal cerca de uma semana depois de chegar à Luz. Saiu a custo zero em 2018, para o Santa Clara.
Salvador Agra - Extremo - Duas de dar boas indicações no Sp. Braga, Bétis e Nacional, Salvador Agra foi contratado pelo Benfica em 2017, mas não chegou a realizar qualquer jogo pela equipa principal. Durante a sua ligação contratual ao clube da Luz, o extremo português contou com cedências ao Aves, Granada e Cádiz, antes de ser vendido por 500 mil euros ao Légia Varsóvia.
Mato Milos - Lateral direito - Projetava-se-lhe um futuro promissor, mas acabou por cair no esquecimento. Contratado por cerca de 400 mil euros ao NK Istra, Mato Milos chegou à Luz e não se impôs. Foi, entretanto, cedido aos polacos do KS Lechia, antes de sair em definitivo para o Aves, em 2018,  por valores que são ainda desconhecidos.
Pedro Rebocho - Lateral esquerdo - Completou a formação no Benfica, mas acabou por sair para o Moreirense, em 2016, após não lhe ter sido concedida uma oportunidade na equipa principal. No ano seguinte, retornou às águias para ser vendido ao... Guingamp. Atualmente, Rebocho representa os turcos do Besiktas.
Erdal Rakip - Médio centro - Contratado em 2018 a custo zero ao Malmö, após acabar contrato com a formação sueca, Rakip foi prontamente emprestado aos ingleses do Crystal Palace, sem sequer ter oportunidade para se mostrar. Em fevereiro de 2019 voltou ao Malmö, num negócio que lucrou ainda 500 mil euros aos cofres das águias.
Yony González - Extremo - Chegou à Luz a custo zero no último mercado de transferências e, passado 32 dias, sem qualquer jogo pelas águias, saiu por empréstimo (com cláusula de compra obrigatória de três milhões de euros). Não se pode dizer que não foi um bom negócio...
Patric - Lateral direito - Transferiu-se do Brasa para o Benfica em 2009/10, por 2 milhões de euros. Posteriormente, foi emprestado ao Cruzeiro e Avaí, tendo saído das águias em 2011, por 1 milhão de euros para o Atlético-MG.
Élvis - Médio ofensivo - A custo zero chegou, a custo zero saiu. Chegou ao Benfica em 2010/11 proveniente dos brasileiros do Paraná. Pela formação secundária das águias somou cinco jogos, num total de 150 minutos, mas nunca chegou à equipa principal. Após sucessivos empréstimos, saiu da Luz em 2013, para os brasileiros do Tombense.
Djaniny - Avançado - Contratado à UD Leiria em 2011/12 por 300 mil euros, este avançado passou pela Luz sem quase ninguém dar por isso. Foi emprestado ao Olhanense antes de rumar em definitivo, por 1.2 milhões ao Nacional, em 2013. Realizou alguns jogos pela equipa B dos encarnados.
Daniel Wass - Lateral direito - Um dos casos de sucesso após sair do Benfica. Chegou à Luz em 2011/12 a custo zero, proveniente do IF Brondby e, apesar de lhe ter sido depositado algum crédito, nunca chegou a vestir a camisola das águias. Saiu no ano seguinte para os franceses do Thonon Évian, por 1.2 milhões de euros. Atualmente, joga no Valencia e esta temporada já leva um golo e cinco assistências em 21 jogos na La Liga.
Michel - Avançado - Depois de ter dado nas vistas no FC Penafiel e no Paços de Ferreira, Michel chegou à Luz visto como uma contratação de futuro para a frente de ataque da equipa. Contudo, nunca chegou a ter a oportunidade de vestir a camisola das águias. Foi emprestado ao Sp. Braga e ao Al Wakrah antes de sair do clube a custo zero em 2014.
Hugo Vieira - Extremo - Era uma das figuras do Gil Vicente. Contratado em 2012, o extremo português nunca chegou a vestir a camisola dos encarnados por via da quantidade de jogadores para as alas que o plantel dispunha. Foi, entretanto, cedido a clubes como o Real Sporting, Gil Vicente e Sp. Braga, tendo saído em 2013 para os bracarenses. Voltou ao campeonato português esta temporada, pelas mãos do Gil Vicente.
Derlis González - Extremo esquerdo - Internacional pelo Paraguai em 34 ocasiões, Derlis não pode gabar-se de uma boa passagem pelo emblema da Luz. Chegou ao Benfica em 2012, proveniente do Rubio Ñú, diretamente para a equipa B, onde realizou dez encontros e apontou oito golos. Contou com cedências ao Club Guaraní e ao Olimpia, antes de sair, em 2014, para o Basileia por 3 milhões de euros.
Luís Fariña - Médio ofensivo - Contratado ao Racing Club, em 2013, com o rótulo de craque, Fariña não convenceu durante a pré-temporada e acabou emprestado ao FC Baniyas, dos Emirados Árabes Unidos. Esteve contratualmente ligado aos encarnados até 2017, altura em que rescindiu com as águias. Durante esse período contou com empréstimos a Deportivo, Rayo Vallecano, Universidad de Chile e Asteras Tripoli.
Stefan Mitrovic - Defesa central - Chegou ao Benfica em 2013, contratado por 1.1 milhões de euros aos belgas do KV Kortrijk. Realizou oito jogos pela equipa B das águias, mas nunca chegou à equipa principal. Foi vendido no ano seguinte aos alemães do Friburgo por 1.5 milhões de euros. Atualmente está nos franceses do Estrasburgo, onde já realizou 28 partidas esta temporada e apontou um golo.
Jorge Rojas - Extremo direito - Era visto como um jogador promissor, mas... nunca chegou a sê-lo. Contratado aos paraguaios do Cerro Porteño em 2013, por 1.25 milhões de euros, o extremo contou apenas com alguns jogos pela formação secundária das águias, tendo posteriormente sido emprestado. Saiu em definitivo do clube da Luz em 2016, para o... Cerro Porteño.
Luís Felipe - Lateral direito - O Benfica contratou, em 2014, este lateral brasileiro ao Palmeiras por 2 milhões de euros, mas não teve muito sucesso. Desde a sua chegada à Luz, não somou nem um minuto pelas águias, tendo contado com vários empréstimos sucessivos: Criciúma, Joinville-SC, Paysandu, Rio Claro e ainda Oeste FC, antes de sair a custo zero para o V. Setúbal, em 2017.
Djavan - Lateral esquerdo - Foi um verdadeiro caso de insucesso instantâneo. Chegou ao Benfica em julho de 2014 e saiu... em agosto do mesmo ano. Atualmente representa o Moreirense.
Daniel Candeias - Extremo - Chegou ao Benfica em 2014, depois de ter dado créditos já no campeonato português, principalmente ao serviço do Nacional e Portimonense. Pelas águias não registou nenhum jogo, tendo somado apenas empréstimos. Nuremberga, Granada, Metz e Antalyaspor foram os clubes por onde passou durante esse período, antes de rumar à Escócia, para representar o Rangers a título definitivo.
Pawel Dawidowicz - Médio defensivo - Visto como o sucessor de Matic no meio-campo do Benfica, este jovem polaco nunca chegou a ter a oportunidade de se mostrar pela equipa principal das águias. Contratado em 2014, aos polacos do KS Lechia, Dawidowicz contou com empréstimos aos alemães do Bochum, aos italiano do Palermo e aos Hellas Verona, clube que acabou por pagar, em 2019, 3.5 milhões de euros pelo médio.
Dolly Menga - Avançado - Mais um caso de insucesso no Benfica. Chegou à Luz em 2014, proveniente dos belgas do Lierse SK, tendo somado 12 jogos pela formação B das águias, sem qualquer golo. Saiu no ano seguinte para o Sp. Braga por valores desconhecidos.
Jhon Murillo - Extremo esquerdo - Transferiu-se para o Benfica em 2015, proveniente dos venezuelanos do Zamora FC, por cerca de 750 mil euros. Contou com empréstimos ao Tondela e Kasimpasa antes de ingressar na formação tondelense em definitivo, em 2018. Pela equipa principal das águias não somou qualquer encontro realizado.
Marçal - Lateral esquerdo - Deu nas vistas no Nacional e rumou à Luz, em 2015, a custo zero. Apesar de ter realizado algumas pré-temporadas nas águias, não conseguiu convencer e foi cedido ao Gaziantepspor e ao Guingamp, onde voltou a dar nas vistas. As boas exibições na Ligue 1 despertaram o interesse do Lyon no lateral brasileiro, que ainda valeu um encaixe de 4.5 milhões de euros ao Benfica, apesar de nunca ter realizado qualquer partida oficial pelas águias.
Pedro Nuno - Médio centro - Fez a formação no Benfica, mas saiu antes de se tornar sénior, em 2014, para a Académica de Coimbra, clube onde permaneceu até 2017. Nesse ano, voltou para representar os encarnados, mas nunca chegou a vestir a camisola da equipa principal. Pedro Nuno foi posteriormente cedido ao Tondela, antes de sair em 2018 a custo zero para o Moreirense.
Diego Lopes - Médio ofensivo - Mais um jogador que fez parte da formação no Benfica. Chegou à Luz em 2008, proveniente das escolas do Palmeiras, mas acabou por sair em definitivo em 2013 para o Rio Ave. Após duas boas temporadas ao serviço dos vila-condenses, Diego Lopes voltou ao Benfica e, quando se pensava que iria ser aposta, acabou por não singrar. Foi emprestado ao Kayserispor, ao América-MG e ao Panetolikos, antes de voltar, em definitivo, ao Rio Ave.
João Amaral - Extremo direito - Chegou ao Benfica em 2017, proveniente do Vitória de Setúbal, clube onde permaneceu emprestado até junho de 2018. Custou às águias cerca de 600 mil euros, mas acabou por sair para os polacos do Lech Poznan por 350 mil, sem somar quando jogo com a camisola principal das águias.
Patrick - Lateral direito - Um negócio que nem os adeptos das águias perceberam. Patrick foi contratado pelo Benfica em 2017, proveniente do Marítimo, tendo sido emprestado ao Vitória de Setúbal cerca de uma semana depois de chegar à Luz. Saiu a custo zero em 2018, para o Santa Clara.
Salvador Agra - Extremo - Duas de dar boas indicações no Sp. Braga, Bétis e Nacional, Salvador Agra foi contratado pelo Benfica em 2017, mas não chegou a realizar qualquer jogo pela equipa principal. Durante a sua ligação contratual ao clube da Luz, o extremo português contou com cedências ao Aves, Granada e Cádiz, antes de ser vendido por 500 mil euros ao Légia Varsóvia.
Mato Milos - Lateral direito - Projetava-se-lhe um futuro promissor, mas acabou por cair no esquecimento. Contratado por cerca de 400 mil euros ao NK Istra, Mato Milos chegou à Luz e não se impôs. Foi, entretanto, cedido aos polacos do KS Lechia, antes de sair em definitivo para o Aves, em 2018,  por valores que são ainda desconhecidos.
Pedro Rebocho - Lateral esquerdo - Completou a formação no Benfica, mas acabou por sair para o Moreirense, em 2016, após não lhe ter sido concedida uma oportunidade na equipa principal. No ano seguinte, retornou às águias para ser vendido ao... Guingamp. Atualmente, Rebocho representa os turcos do Besiktas.
Erdal Rakip - Médio centro - Contratado em 2018 a custo zero ao Malmö, após acabar contrato com a formação sueca, Rakip foi prontamente emprestado aos ingleses do Crystal Palace, sem sequer ter oportunidade para se mostrar. Em fevereiro de 2019 voltou ao Malmö, num negócio que lucrou ainda 500 mil euros aos cofres das águias.
Yony González - Extremo - Chegou à Luz a custo zero no último mercado de transferências e, passado 32 dias, sem qualquer jogo pelas águias, saiu por empréstimo (com cláusula de compra obrigatória de três milhões de euros). Não se pode dizer que não foi um bom negócio...
Patric - Lateral direito - Transferiu-se do Brasa para o Benfica em 2009/10, por 2 milhões de euros. Posteriormente, foi emprestado ao Cruzeiro e Avaí, tendo saído das águias em 2011, por 1 milhão de euros para o Atlético-MG.
Élvis - Médio ofensivo - A custo zero chegou, a custo zero saiu. Chegou ao Benfica em 2010/11 proveniente dos brasileiros do Paraná. Pela formação secundária das águias somou cinco jogos, num total de 150 minutos, mas nunca chegou à equipa principal. Após sucessivos empréstimos, saiu da Luz em 2013, para os brasileiros do Tombense.
Djaniny - Avançado - Contratado à UD Leiria em 2011/12 por 300 mil euros, este avançado passou pela Luz sem quase ninguém dar por isso. Foi emprestado ao Olhanense antes de rumar em definitivo, por 1.2 milhões ao Nacional, em 2013. Realizou alguns jogos pela equipa B dos encarnados.
Daniel Wass - Lateral direito - Um dos casos de sucesso após sair do Benfica. Chegou à Luz em 2011/12 a custo zero, proveniente do IF Brondby e, apesar de lhe ter sido depositado algum crédito, nunca chegou a vestir a camisola das águias. Saiu no ano seguinte para os franceses do Thonon Évian, por 1.2 milhões de euros. Atualmente, joga no Valencia e esta temporada já leva um golo e cinco assistências em 21 jogos na La Liga.
Michel - Avançado - Depois de ter dado nas vistas no FC Penafiel e no Paços de Ferreira, Michel chegou à Luz visto como uma contratação de futuro para a frente de ataque da equipa. Contudo, nunca chegou a ter a oportunidade de vestir a camisola das águias. Foi emprestado ao Sp. Braga e ao Al Wakrah antes de sair do clube a custo zero em 2014.
Hugo Vieira - Extremo - Era uma das figuras do Gil Vicente. Contratado em 2012, o extremo português nunca chegou a vestir a camisola dos encarnados por via da quantidade de jogadores para as alas que o plantel dispunha. Foi, entretanto, cedido a clubes como o Real Sporting, Gil Vicente e Sp. Braga, tendo saído em 2013 para os bracarenses. Voltou ao campeonato português esta temporada, pelas mãos do Gil Vicente.
Derlis González - Extremo esquerdo - Internacional pelo Paraguai em 34 ocasiões, Derlis não pode gabar-se de uma boa passagem pelo emblema da Luz. Chegou ao Benfica em 2012, proveniente do Rubio Ñú, diretamente para a equipa B, onde realizou dez encontros e apontou oito golos. Contou com cedências ao Club Guaraní e ao Olimpia, antes de sair, em 2014, para o Basileia por 3 milhões de euros.
Luís Fariña - Médio ofensivo - Contratado ao Racing Club, em 2013, com o rótulo de craque, Fariña não convenceu durante a pré-temporada e acabou emprestado ao FC Baniyas, dos Emirados Árabes Unidos. Esteve contratualmente ligado aos encarnados até 2017, altura em que rescindiu com as águias. Durante esse período contou com empréstimos a Deportivo, Rayo Vallecano, Universidad de Chile e Asteras Tripoli.
Stefan Mitrovic - Defesa central - Chegou ao Benfica em 2013, contratado por 1.1 milhões de euros aos belgas do KV Kortrijk. Realizou oito jogos pela equipa B das águias, mas nunca chegou à equipa principal. Foi vendido no ano seguinte aos alemães do Friburgo por 1.5 milhões de euros. Atualmente está nos franceses do Estrasburgo, onde já realizou 28 partidas esta temporada e apontou um golo.
Jorge Rojas - Extremo direito - Era visto como um jogador promissor, mas... nunca chegou a sê-lo. Contratado aos paraguaios do Cerro Porteño em 2013, por 1.25 milhões de euros, o extremo contou apenas com alguns jogos pela formação secundária das águias, tendo posteriormente sido emprestado. Saiu em definitivo do clube da Luz em 2016, para o... Cerro Porteño.
Luís Felipe - Lateral direito - O Benfica contratou, em 2014, este lateral brasileiro ao Palmeiras por 2 milhões de euros, mas não teve muito sucesso. Desde a sua chegada à Luz, não somou nem um minuto pelas águias, tendo contado com vários empréstimos sucessivos: Criciúma, Joinville-SC, Paysandu, Rio Claro e ainda Oeste FC, antes de sair a custo zero para o V. Setúbal, em 2017.
Djavan - Lateral esquerdo - Foi um verdadeiro caso de insucesso instantâneo. Chegou ao Benfica em julho de 2014 e saiu... em agosto do mesmo ano. Atualmente representa o Moreirense.
Daniel Candeias - Extremo - Chegou ao Benfica em 2014, depois de ter dado créditos já no campeonato português, principalmente ao serviço do Nacional e Portimonense. Pelas águias não registou nenhum jogo, tendo somado apenas empréstimos. Nuremberga, Granada, Metz e Antalyaspor foram os clubes por onde passou durante esse período, antes de rumar à Escócia, para representar o Rangers a título definitivo.
Pawel Dawidowicz - Médio defensivo - Visto como o sucessor de Matic no meio-campo do Benfica, este jovem polaco nunca chegou a ter a oportunidade de se mostrar pela equipa principal das águias. Contratado em 2014, aos polacos do KS Lechia, Dawidowicz contou com empréstimos aos alemães do Bochum, aos italiano do Palermo e aos Hellas Verona, clube que acabou por pagar, em 2019, 3.5 milhões de euros pelo médio.
Dolly Menga - Avançado - Mais um caso de insucesso no Benfica. Chegou à Luz em 2014, proveniente dos belgas do Lierse SK, tendo somado 12 jogos pela formação B das águias, sem qualquer golo. Saiu no ano seguinte para o Sp. Braga por valores desconhecidos.
Jhon Murillo - Extremo esquerdo - Transferiu-se para o Benfica em 2015, proveniente dos venezuelanos do Zamora FC, por cerca de 750 mil euros. Contou com empréstimos ao Tondela e Kasimpasa antes de ingressar na formação tondelense em definitivo, em 2018. Pela equipa principal das águias não somou qualquer encontro realizado.
Marçal - Lateral esquerdo - Deu nas vistas no Nacional e rumou à Luz, em 2015, a custo zero. Apesar de ter realizado algumas pré-temporadas nas águias, não conseguiu convencer e foi cedido ao Gaziantepspor e ao Guingamp, onde voltou a dar nas vistas. As boas exibições na Ligue 1 despertaram o interesse do Lyon no lateral brasileiro, que ainda valeu um encaixe de 4.5 milhões de euros ao Benfica, apesar de nunca ter realizado qualquer partida oficial pelas águias.
Pedro Nuno - Médio centro - Fez a formação no Benfica, mas saiu antes de se tornar sénior, em 2014, para a Académica de Coimbra, clube onde permaneceu até 2017. Nesse ano, voltou para representar os encarnados, mas nunca chegou a vestir a camisola da equipa principal. Pedro Nuno foi posteriormente cedido ao Tondela, antes de sair em 2018 a custo zero para o Moreirense.
Diego Lopes - Médio ofensivo - Mais um jogador que fez parte da formação no Benfica. Chegou à Luz em 2008, proveniente das escolas do Palmeiras, mas acabou por sair em definitivo em 2013 para o Rio Ave. Após duas boas temporadas ao serviço dos vila-condenses, Diego Lopes voltou ao Benfica e, quando se pensava que iria ser aposta, acabou por não singrar. Foi emprestado ao Kayserispor, ao América-MG e ao Panetolikos, antes de voltar, em definitivo, ao Rio Ave.
João Amaral - Extremo direito - Chegou ao Benfica em 2017, proveniente do Vitória de Setúbal, clube onde permaneceu emprestado até junho de 2018. Custou às águias cerca de 600 mil euros, mas acabou por sair para os polacos do Lech Poznan por 350 mil, sem somar quando jogo com a camisola principal das águias.
Patrick - Lateral direito - Um negócio que nem os adeptos das águias perceberam. Patrick foi contratado pelo Benfica em 2017, proveniente do Marítimo, tendo sido emprestado ao Vitória de Setúbal cerca de uma semana depois de chegar à Luz. Saiu a custo zero em 2018, para o Santa Clara.
Salvador Agra - Extremo - Duas de dar boas indicações no Sp. Braga, Bétis e Nacional, Salvador Agra foi contratado pelo Benfica em 2017, mas não chegou a realizar qualquer jogo pela equipa principal. Durante a sua ligação contratual ao clube da Luz, o extremo português contou com cedências ao Aves, Granada e Cádiz, antes de ser vendido por 500 mil euros ao Légia Varsóvia.
Mato Milos - Lateral direito - Projetava-se-lhe um futuro promissor, mas acabou por cair no esquecimento. Contratado por cerca de 400 mil euros ao NK Istra, Mato Milos chegou à Luz e não se impôs. Foi, entretanto, cedido aos polacos do KS Lechia, antes de sair em definitivo para o Aves, em 2018,  por valores que são ainda desconhecidos.
Pedro Rebocho - Lateral esquerdo - Completou a formação no Benfica, mas acabou por sair para o Moreirense, em 2016, após não lhe ter sido concedida uma oportunidade na equipa principal. No ano seguinte, retornou às águias para ser vendido ao... Guingamp. Atualmente, Rebocho representa os turcos do Besiktas.
Erdal Rakip - Médio centro - Contratado em 2018 a custo zero ao Malmö, após acabar contrato com a formação sueca, Rakip foi prontamente emprestado aos ingleses do Crystal Palace, sem sequer ter oportunidade para se mostrar. Em fevereiro de 2019 voltou ao Malmö, num negócio que lucrou ainda 500 mil euros aos cofres das águias.
Yony González - Extremo - Chegou à Luz a custo zero no último mercado de transferências e, passado 32 dias, sem qualquer jogo pelas águias, saiu por empréstimo (com cláusula de compra obrigatória de três milhões de euros). Não se pode dizer que não foi um bom negócio...
Yony González foi contratado pelo Benfica mas acabou por deixar o clube apenas 32 dias depois, sem qualquer minuto pela equipa oficial. Ainda assim, o avançado colombiano não é caso único. Nos últimos 10 anos, houve vários futebolistas que chegaram à Luz mas nunca disputaram qualquer jogo oficial pelas águias. Uns chegaram a realizar partidas pelos escalões inferiores das águias, outros somaram minutos apenas em particulares e houve quem mal tivesse colocado os pés no clube. [Imagens: Paulo Calado, Vítor Chi, Sérgio Lemos, Pedro Ferreira, Luís Vieira, Pedro Simões, Miguel Barreira, Luís Manuel Neves e Octávio Passos]
29
Deixe o seu comentário

Pub

Publicidade
29
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias

Fotogalerias

Fotogalerias

Sporting

Fotogalerias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.