Record

Será que é saudável?

• Foto: Lusa

Olá a todos, espero que esta vossa semana tenha sido boa apesar do regresso da chuva.

Como sabem, eu gosto de fazer sempre uma ressalva a todos os dias importantes no que diz respeito à saúde e esta semana não vai ser diferente. Apesar de ir com um dia de atraso, esta semana vou falar de saúde para celebrar o Dia Mundial da Saúde que se comemorou este domingo, dia 7 de Abril. E a pergunta que começo por colocar é: tem a certeza que tem saúde? Que é uma pessoa saudável?

Até há algum tempo, o que se preconizava como saúde era a ausência de doença. Só assim, super simples: não tenho doença, portanto devo ter saúde. Contudo, este conceito foi mudando ao longo dos últimos anos e a Organização Mundial de Saúde (OMS) alterou-o por completo.

Neste momento, ter saúde segundo a OMS é o "completo bem-estar físico, mental e social, e não simplesmente a ausência de doença ou enfermidade", e é considerada como direito fundamental e como a principal meta social de todos os governos. A saúde é amplamente reconhecida como o maior e o melhor recurso para os desenvolvimentos social, económico e pessoal, assim como uma das mais importantes dimensões da qualidade de vida.

Posto isto, a pergunta seguinte que vos coloco é o que fazer para sermos saudáveis, para ter saúde neste conceito maior, mais abrangente e mais atual?

Para atingir um estado de completo bem-estar físico, mental e social, devemos saber identificar aspirações, satisfazer necessidades e modificar favoravelmente o ambiente natural, político e social que nos rodeia. A saúde é, portanto, um conceito positivo, que enfatiza os recursos sociais e pessoais, bem como as capacidades físicas. Por isto mesmo, ser saudável não depende exclusivamente do setor saúde, indo muito além de um estilo de vida saudável, na direção de um bem-estar global. Por isso mesmo, deve ter-se em conta os 4 pilares para o desenvolvimento de saúde: promoção da saúde, prevenção de doenças, identificação dos fatores de risco e, por sim, tratamento adequado – para doença já esteja instalada.

A minha opinião é que os que têm maior importância são os 2 primeiros. E porquê? Para perceber a sua real importância, entender a origem da palavra é fundamental: deve-se compreender que prevenir é antecipar-se a um evento, ou mesmo evitá-lo. Prevenção em saúde pública é a ação antecipada e tem como objetivo intercetar ou anular a evolução de uma doença. Tendo isto em conta podemos fazer o que se chama prevenção primária, que se caracteriza por ser um conjunto de ações que tem como objetivo evitar a doença na população, removendo os fatores causais, ou seja, visam a diminuição da incidência da doença.

Assim, e apesar da importância que dei a alguns aspetos, todos os pilares são relevantes para a saúde, bem-estar, autoconhecimento e relacionamento entre pessoas, e cuidar de todas essas valências é fundamental para se viver feliz, segundo o que foi citado acima sobre a promoção da saúde.

Todos nós, seres humanos, somos iguais, temos nossos sentimentos, medos, crenças, valores, heranças, religião, hábitos e vícios. Sendo assim, existem fatores primordiais para uma saúde integral. Eles são quatro e podem ser classificadas como diferentes "tipos" de saúde: Física (=biológica), Mental (=psicológica/emocional), Social (=relacionamentos/herança de si mesmo) e Espiritual.

Ao longo da semana vou falar de cada um deles mais pormenorizadamente.

Tenham uma ótima semana, cheia de saúde!

Até para a semana!

Para mais informações ou esclarecimentos, contacte: inesfilipamorais@gmail.com

Por Inês Morais
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Nutrição

Notícias

Notícias Mais Vistas