Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Suplementação com creatina e os seus efeitos no desempenho desportivo

A procura pela melhor performance desportival possível acaba por potenciar que atletas de alto nível recorram, além das rotinas habituais de treino, a opções nutricionais que ajudem na obtenção desse objetivo, ou seja, a utilização de suplementação torna-se cada vez mais comum nos nossos dias. Assim, torna-se relevante falar-se da Creatina, que tem sido um dos recursos ergogénicos mais utilizados, sendo que a sua ação já foi alvo de vários estudos.

Os efeitos da suplementação em creatina têm vindo a ser testados principalmente em exercícios de força, velocidade e esforços intensos repetidos. A maioria dos mesmos teve como resultado o aumento do peso da maioria dos indivíduos que participou no estudo, muito provavelmente devido a um aumento da retenção de água que é provocado pelo aumento das contrações musculares.

Quando falamos dos efeitos da suplementação de creatina no desempenho dos atletas em exercícios contínuos de alta intensidade, vários estudos relatam que a ingestão de creatinina promove o aumento das reservas intramusculares deste substrato, aumentando também o peso.

As evidências encontradas a partir de vários estudos feitos a praticantes de modalidades fechadas (atletismo, natação, remo e ciclismo, por exemplo) demonstram que a suplementação de creatina, em doses que variam de 20 g ou 0,25 - 0,35 g/kg de peso corporal por dia durante 5 a 6 dias, são suficientes para promover aumento significativo do peso, associado ao aumento das reservas musculares de creatina. Contudo, os resultados ao nível dos diferentes desportos tendem a ser divergentes e, por isso, ainda é necessário perceber a verdadeira vantagem da suplementação de creatinina no balanço entre o ganho de peso e o aumento da capacidade anaeróbia em atletas e/ou praticantes recreativos de desportos de característica contínua.

Já no que diz respeito ao desempenho dos atletas em desportos intervalados de alta intensidade a suplementação faz-se de outra maneira.

O que acontece neste tipo de modalidades é que existe uma perda de desempenho que pode chegar a 70% nas séries seguintes. Esta queda deve-se à diminuição das reservas da molécula responsável por permitir, através de reações enzimáticas, a libertação de uma grande quantidade de energia, suficiente para permitir que se concretizem exercícios de alta intensidade.

Os estudos feitos neste sentido, tentaram perceber os efeitos provocados por um aumento das reservas musculares de creatinina, feita por vias de suplementação, analisando a hipótese de uma melhoria na atenuação da perda de desempenho entre séries repetidas de exercício intenso.

Neste caso, alguns estudos demonstram claramente que a suplementação de creatinina parece ajudar a atenuar a perda natural de desempenho entre séries repetidas de exercício de alta intensidade, outros demonstram divergência em relação a esses resultados. Inquestionável é, no entanto, que a suplementação de creatina causa um aumento das reservas musculares deste substrato, como mostraram estudos que incluíram análises de biopsia muscular.

Assim, o efeito deste aumento em exercícios intervalados precisa de ser revisto devido à incoerência de resultados, sobretudo no que diz respeito aos estudos que procuraram uma aproximação maior com o "mundo real".

Assim, no que diz respeito à suplementação, o que os estudos demonstram até agora é que 3 a 6 dias de suplementação de creatina, em doses diárias que podem variar entre 20g a 30g ou 0,25g a 0,35g por kg de peso, são suficientes para promover aumento da capacidade anaeróbia e melhorar o desempenho em exercícios de alta intensidade contínuo ou intermitente. Contudo, a extrapolação desses resultados para o "mundo real" do desporto precisa de ser revista. O aumento peso, comumente relatado em estudos com suplementação de creatina também tem necessidade de ser verificado para esclarecer o reflexo deste sobre o desempenho de atletas e desportistas amadores. Assim, são necessários mais estudos que permitam aproximar o máximo possível o tipo de metodologia usada nos mesmos, a situações reais de competição.

Fonte: Kleiner Márcio de Andrade, Nemezio, Carlos Rafael Correia Oliveira, Adriano Eduardo Lima da Silva, "CREATINE SUPPLEMENTATION AND ITS EFFECTS ON PERFORMANCE IN CONTINOUS AND INTERMITTENT HIGH INTENSITY EXERCISE"

Por Inês Morais
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Nutrição

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M