Sushi, sim ou não?

• Foto: Pedro Sousa Filipe

Olá a todos, têm passado?

Esta semana vou falar de um tipo de comida que cada vez mais me tem "invadido" a consulta nos dias de hoje: a comida japonesa, mais propriamente o sushi.

A verdade, é que dentro de tantas opções que se tem quando se come fora de casa, o que (infelizmente!) acontece cada vez mais, a comida japonesa é colorida e variada: peixes, frutos do mar, legumes, verduras, arroz, noodles de arroz... Contudo, é necessária alguma atenção na escolha dos pratos porque, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa quando está a consumir este tipo de alimentos, há uma grande quantidade de preparações fritas, panadas, com queijo e molhos.

A verdade é que a forma como este tipo de comida é apresentada a todos nós, pode deixar-nos a pensar que será uma opção pouco calórica e muito saudável que até ajudará a controlar o peso. Por isso mesmo, tornou-se das principais questões em consulta. Aliás, uma das principais questões que me colocam hoje em dia é "Existe um limite semanal de idas ao restaurante japonês? A minha resposta é um bocadinho o "nim", porque tudo depende das escolhas que se façam na ida ao restaurante. O problema, é que na maioria das vezes, não se inclui verduras e legumes nos "combinados do japonês", então, o meu conselho é que procure frequentar uma ou duas vezes por semana no máximo.

Outra questão cada vez mais importante, principalmente com o aumento da oferta deste tipo de restaurantes, é a questão da contaminação alimentar devido ao facto da maioria da comida apresentada estar crua (passar por processo de cocção ou cozimento é uma das formas que reduz e previne crescimento bacteriano), manipulada com as mãos (maior necessidade de cuidado higiénico e probabilidade de contaminação) e pela exposição ao ar livre. Ou seja, há toda uma panóplia de oportunidades para o consumo de sushi poder ter consequências menos boas para a saúde. Opte por sítios de confiança, mesmo que tenha de ir menos vezes do que gostaria.

Assim, para que tudo corra bem, e para além das restantes dicas que costumo dar durante a semana, tente recorrer às seguintes estratégias quando for comer ao restaurante japonês:

·         Evite ir ao restaurante japonês depois de muitas horas de jejum ou com a ideia de "Vou comer até não aguentar mais" – este tipo de abordagem só vai fazer com que coma mais quantidade, mais rápido e não vai dar tempo ao seu organismo de perceber que já está satisfeito.

·         Evite comer os fritos (tanto as peças de sushi fritas como todos os outros acompanhamentos fritos) pois para além das quantidades calóricas e gordura acrescentada, os fritos já estão fora do que é o sushi original.

·         Diminua o consumo de molho de soja – Para além do açúcar adicionado, o molho de soja é rico em sódio que leva à retenção de líquidos e a um aumento da tensão arterial.

·         Prefira os sashimis em vez das peças com mais arroz – Se der preferência aos sashimis (fatias de peixe) não se irá sentir tão "cheio" uma vez que vai estar a diminuir o consumo de arroz e a gordura em que são ricos os peixes (normalmente atum e salmão).

Não percam mais dicas para um consumo equilibrado de sushi, porque lembrem-se, tudo se pode, desde que haja controlo e moderação.

Até para a semana!

Para mais informações ou esclarecimentos, contacte: inesfilipamorais@gmail.com

Por Inês Morais
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Nutrição

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.