Em dia de jogo com o Milan imprensa lembra que Ronaldo já esteve com um pé em San Siro

Avançado português esteve perto de se mudar do Real Madrid para os rossoneri em 2017

O encontro deste domingo em Itália, que coloca frente a frente a Juventus e o Milan - pode ser determinante na luta por um lugar na Champions -, fez a 'Gazzetta dello Sport' recordar a época de 2017, quando os rossoneri quiseram contratar Cristiano Ronaldo.

O Milan era detido por empresários chineses, que sonhavam com o português, pois viam-no como uma boa aposta para o mercado oriental. Jorge Mendes foi contactado e a negociação avançou, conforme recordou Marco Fassone, então conselheiro do Milan.

"O Yonghong Li queria o Cristiano Ronaldo no Milan. Queria-o porque acreditava que teria grande força no mercado chinês. Ele queria deixar o Real Madrid e encontrámo-nos em julho de 2017 com o Jorge Mendes, para avaliar os custos da operação e a disponibilidade do jogador", dizia aquele responsável em novembro de 2018. "O Milan era um clube de categoria mundial e ele gostava disso."

"CR7 disse-nos: 'vocês não estão na Champions, mas pronto, eu também nunca ganhei a Liga Europa e vou ganhá-la'. Ele estava convencido, podem achar que é uma brincadeira, mas nós tínhamos o Ronaldo fechado", afirmou em finais de 2018 Massimiliano Mirabelli, ex-diretor desportivo do Milan.

E o que falhou? Os chineses acharam que financeiramente o negócio era impossível. "Não avançaram com o dinheiro", recordou Mirabelli. "O Fassone disse-me que os números não se enquadravam. Primeiro deram um orçamento e depois outro. A questão é que me disseram que tínhamos possibilidades de o contratar, que o dinheiro estava lá, mas mudaram da noite para o dia."

Ronaldo ficou essa época no Real Madrid e em 2018 transferiu-se para a Juventus.

Por Record
2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de O diário de CR7

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.