Saída de campo

António Magalhães
António Magalhães

Mistério da defesa

Os riscos que Jesus correu deram mau resultado. Ensaiar o esquema dos três centrais com jogadores que se sentiram desconfortáveis foi um suicídio e fazê-lo frente a um V. Guimarães com argumentos para explorar ao máximo essas limitações potenciou o perigo. A expulsão de Coates agravou naturalmente a situação.

O Sporting voltou, pois, a sofrer golos (não houve um jogo desta pré-época em que não os tenham sofrido) e inevitavelmente reaviva o debate sobre a segurança defensiva. O ano passado, foi um ‘ai Jesus’, com a equipa a chegar ao fim da época com um registo de golos sofridos assustador. Esta época, com um sector renovado, o ‘mal’ parece continuar a contaminar a equipa.

O jogo de ontem levará certamente Jesus a adiar novas experiências com os três centrais ou na melhor das hipóteses a fazê-las no recato do treino à porta fechada ou perante adversários que não exponham tanto o leão às debilidades. Acredita-se que o quarteto que será titular ganhe rotinas e seja o suporte de segurança de que a equipa precisa.

O V. Guimarães limpou a imagem mais frágil que tinha deixado com o FC Porto e ganhou o ânimo que necessita para enfrentar o tetracampeão. Também Pedro Martins precisa de tempo para moldar reforços e potenciar os jovens que chegam.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade