Saída de campo

António Magalhães
António Magalhães

Música no coração

Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Livramento e Chana. Há nomes que juntos têm uma musicalidade própria, única, eterna. Uma ligação tão íntima que quase não concebemos dizê-los em separado, tal a dimensão daquilo que representaram quando, por obra e graça do destino, se cruzaram num quinteto maravilha. Haverá outras associações tão ou mais lendárias (basta recordar os Cinco Violinos), mas esta também entrou na história e no coração dos sportinguistas e de todos os portugueses.

O tempo em que o hóquei em patins lotava pavilhões já lá vai, mas ficam para a posteridade jogos e conquistas que nas coleções dos jornais e nos vídeos de arquivo podemos revisitar mas nunca reviver com a mesma emoção. Em 1977, o velhinho pavilhão de Alvalade foi pequeno para acolher todos os adeptos que queriam testemunhar a primeira Taça dos Campeões Europeus ganha por um clube português. Durante anos a fio, o Réus, o Voltregá e o Barcelona levaram o título (este e outros) para Espanha. Até à época em que se juntaram no rinque Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Livramento e Chana.

Livramento foi o melhor jogador do Mundo da sua geração e deixou-nos muito cedo, há quase 20 anos. Ontem, partiu outra figura desta estrela de cinco pontas, João Sobrinho. A música ficará no nosso coração.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade