Interrogatório

António Magalhães
António Magalhães

Solução Pizzi foi quase um ‘problema’

O que fez com que o Benfica nunca tivesse o controlo do jogo?

Uma dinâmica coletiva que levasse a equipa a pressionar alto e condicionasse a saída de bola do adversário. O Portimonense aproveitou a liberdade que teve na fase decisiva da construção. Mesmo em vantagem numérica, houve pouca intensidade e agressividade. A falta que Fejsa faz...

O que comprometeu a fluidez do jogo encarnado?

Especialmente, a pouca precisão de Pizzi no passe. Por norma, ele é a solução, desta vez foi quase um... ‘problema’, ainda que tenha sido ele a desmarcar Salvio no lance do penálti. Empurrado para zonas de menor influência, ‘sem’ Pizzi o jogo do Benfica perdeu eficácia, amplitude, versatilidade. Vitória quis dar mais opções com a entrada de Filipe Augusto, mantendo Samaris, pois ambos têm capacidade para construir. A intenção foi boa, o resultado nem tanto.

Zivkovic justificou a chamada ao onze?

Absolutamente. O sérvio já tinha sido o grande agitador em Vila do Conde e voltou a mostrar que se encontra num bom momento e que pode agarrar o lugar. Trouxe várias soluções, buscando o jogo interior, a finalização e o desequilíbrio entre linhas.

O autocarro do Portimonense ficou no Algarve?

Nem saiu da garagem. Na Luz, o Portimonense estendeu-se por todo o campo, protegendo-se mais nalguns momentos, mas sempre com a mira na baliza de Varela.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais