Visão de jogo

António Oliveira
António Oliveira

À procura da afirmação

A pouco mais de uma semana do arranque oficial da temporada em Portugal, os clubes nacionais continuam a ultimar a sua preparação, a afinar estratégias, a testar soluções e à procura das últimas peças que virão integrar os seus elencos finais. Mais do que falar nos reforços, que ainda precisaremos de ver em ação mais vezes, de modo a avaliar aquilo que podem trazer às equipas, esta é uma boa altura para perspetivar jogadores já ambientados à liga portuguesa que poderão render mais e ter em 2018/2019 a sua época de afirmação.

Òliver Torres é um das contratações mais caras de sempre no futebol português. No ano passado não se afirmou como indiscutível no onze do FC Porto, sendo titular em apenas 14 partidas. O talento do jogador é inegável: tem uma técnica e visão de jogo acima da média. Mas para jogar na dupla de meio-campo que Sérgio Conceição preconiza é preciso juntar mais valências, como o rigor defensivo na marcação e a capacidade de aparecer mais no ataque e finalizar. Com maior conhecimento do que é pedido pelo seu técnico, o espanhol está em condições de apresentar uma maior consistência exibicional na equipa azul e branca.

Já o mexicano Jesús Corona, a entrar na 4.ª temporada de dragão ao peito, deixou até ao momento a ideia de que pode ser mais decisivo. Extremo habilidoso e de remate fácil, rápido a desequilibrar pela faixa ou a furar por zonas interiores, tem oscilado entre o bom e o mau e, consequentemente, entre a titularidade e o banco. No ano passado apontou apenas 3 golos. Tem potencial para ser mais influente, a marcar mais golos e a servir os companheiros.

No Benfica, ainda não vimos o mesmo Rafa Silva que se destacou em Braga e que, por via disso, conseguiu chegar à Seleção. A lesão de Salvio, na temporada anterior, deu-lhe algum espaço competitivo nas últimas jornadas e o médio ofensivo português conseguiu ir crescendo de jogo para jogo. Se esta época der continuidade a essa boa série de jogos, na qual registou alguns golos e assistências, poderá finalmente confirmar o seu talento de águia ao peito.

Por seu lado, o regresso de Krovinovic após uma lesão grave também gera expetativas altas. As boas indicações dadas no ano passado, quando estava a ser um jogador em destaque no Benfica, na organização do jogo, capacidade criativa e transporte do jogo ofensivo naquela que foi talvez a melhor fase exibicional dos encarnados, fazem dele uma aposta provável de Rui Vitória, caso se apresente totalmente recuperado.

Apresentando uma maior maturidade competitiva, depois de um ano positivo em Chaves (com 8 golos apontados), Matheus Pereira pode ter finalmente a sua oportunidade no Sporting. O jovem extremo pode ter agora mais espaço para evidenciar as suas qualidades (rápido, habilidoso, aguerrido, rematador) nos leões e ter em José Peseiro o treinador certo para potenciar as suas características ofensivas.

Rotulado de craque no Brasil e mais adaptado ao futebol europeu, Wendel pode igualmente ser uma das revelações da próxima temporada. Num meio-campo privado de William Carvalho e Battaglia (titulares no ano anterior), o jovem médio leonino pode aproveitar a vaga e perfilar-se como uma das principais opções para o meio-campo do Sporting.

Olhando para os restantes clubes da Liga, jogadores jovens como Bruno Xadas (Braga), Francisco Ramos (V. Guimarães) e Tomás Podstawski (V. Setúbal) poderão ganhar mais espaço competitivo, enquanto Joel Tagueu (Marítimo), Nakajima (Portimonense) e Miguel Cardoso (Tondela) têm para confirmar as boas sensações dadas na época de estreia.

O craque – Oportunidade para Alfa Semedo
Uma época em bom nível ao serviço do Moreirense, onde foi titular com apenas 20 anos, valeu o regresso de Alfa Semedo ao Benfica. Os encarnados resgataram assim um jogador que havia passado pela sua formação, dando-lhe nova oportunidade. Jogador alto (1,90m), de passada larga e qualidade no passe, acrescenta força ao meio campo, recupera bolas e ajuda a transportar o jogo para o meio campo adversário. E aparece em zona de finalização, como se viu no jogo com o Borussia Dortmund. Poderá ser uma ótima alternativa a Fejsa.

A jogada – Fornadas de qualidade
Portugal está na final do Europeu de sub-19. Nos últimos 6 anos, a seleção portuguesa conseguiu atingir a final da prova por 3 vezes e chegou às meias-finais em mais 2 ocasiões, um registo fantástico que ilustra o bom trabalho que tem sido feito na nossa formação, a qualidade dos jogadores e a rodagem que os atletas apresentam por via da experiência adquirida nas equipas B. Uma vitória categórica por 5-0 sobre a Ucrânia coloca a Seleção na final com a Itália e esperemos que seja desta vez que quebramos o enguiço com a conquista deste troféu.

A dúvida – Alta importância
O Benfica irá defrontar o Fenerbahce na 3.ª Pré-Eliminatória da Liga dos Campeões. Entre os nomes possíveis calhou mesmo aquele tinha o melhor ranking da UEFA, pelo que a caminhada dos encarnados em busca dos milhões da Champions obrigará a superar um forte oponente. Além de fervorosos adeptos, a equipa turca conta com vários jogadores com experiência internacional. Mas as águias parecem ser favoritas nestas duas partidas. É legítimo dizer que o Benfica joga aqui 2 dos jogos mais importantes desta sua época?




Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.