Visão de jogo

António Oliveira
António Oliveira

Dérbi em momento curioso

O primeiro clássico da época já está a chegar, logo à 3.ª jornada. Águias e leões vão encontrar-se amanhã no Estádio da Luz com um sentimento comum: ambos preferiam que o jogo surgisse noutro momento. Mas o calendário (este ano sem condicionalismos a favorecer os grandes, algo que o G15 conseguiu fazer aprovar) assim o exige, e o dérbi lisboeta colocará em confronto um Benfica em vésperas de partida determinante para as ambições europeias e um Sporting que ainda procura evoluir para um nível exibicional superior.

Os dois emblemas vão assim abordar esta partida com preocupações distintas. Por um lado, o Benfica apanha este jogo a meio de uma eliminatória decisiva que lhe pode dar acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões e um chorudo prémio financeiro superior a 40 milhões de euros. É uma fase crucial da época para os encarnados, que ditará o futuro e algumas decisões a tomar até ao fecho do mercado. E perante jogos de tamanha intensidade, há que acautelar o desgaste físico que possa sair daí. Depois do empate a uma bola na Luz com o PAOK, as águias vão jogar todas as fichas no jogo da 2.ª mão na Grécia e falta perceber até que ponto isso pode influenciar as escolhas de Rui Vitória para o dérbi.

Já o Sporting, depois da fase tempestiva, começa a reinventar e estabilizar a sua equipa. José Peseiro traz ideias diferentes às do passado recente e tenta montar um puzzle que ainda espera novas peças para que a máquina afine. Até lá, o pragmatismo é o caminho. A equipa necessita de ir acumulando pontos, crescer em plena competição e manter-se na luta com os rivais. Estará o leão preparado para surpreender no dérbi? Por vezes, são estes jogos que servem de clique e despertam as equipas para um maior rendimento e força mental.

Neste momento, e porque já traz uma base e um sistema montados desde o ano passado, o Benfica parece ter uma dinâmica mais consistente, sendo que a introdução de um jogador como Gedson Fernandes no meio campo, capaz de ocupar vários espaços à frente e atrás, tem libertado Pizzi para um papel mais preponderante na equipa, aparecendo em boa forma neste início de temporada e municiando muitas jogadas de perigo. A rever, Rui Vitória terá tido mais atenção ao capítulo da eficácia, que não foi a melhor no jogo com o PAOK, assim como a perda de intensidade e agressividade que a equipa parece acusar na segunda metade dos jogos efetuados até agora.

Por seu lado, o leão procura ainda a fórmula ideal para montar alguns setores da equipa. No meio campo, o trio que formará o corredor central parece ser uma das prioridades de José Peseiro, que ainda não contará com o sérvio Gudelj, elemento que pode acrescentar qualidade ao miolo. Enquanto Battaglia e Bruno Fernandes são opções óbvias, o terceiro elemento pode ser a principal dor de cabeça na Luz. A lesão de Bas Dost e a possibilidade de não jogar o dérbi, pode ser também um problema, já que o plantel dispõe de poucas soluções para o lugar do ponta de lança holandês. Há algumas incertezas em relação ao Sporting, mas José Peseiro no passado já conseguiu surpreender.

O dérbi não será decisivo, como é óbvio. Mas surge num momento "incómodo" para ambas as equipas e, até por isso, será importante para qualquer um dos lados perceber a sua reação a estes testes de máxima exigência, partidas em que todos os atletas querem participar. Ganhar pode ser um tónico psicológico para os jogos seguintes. Que seja uma boa partida. 

O Craque – Fredy em bom plano
Foi apontado no passado como jogador de grande potencial, mas a carreira de Fredy acabou por não ir de encontro às expetativas geradas. Porém, aos 28 anos, e ao novamente serviço do clube de formação, o Belenenses, o avançado tem estado em destaque. Silas está a conseguir tirar o melhor rendimento do extremo angolano e este respondeu com 4 golos nos primeiros 3 jogos da época. Jogador rápido, capaz de desequilibrar no 1 para 1 e de descobrir os melhores movimentos para assistir os colegas, pode estar a caminho de uma temporada em alta.

A Jogada – Só os 3 grandes na Europa
A posição portuguesa no ranking da UEFA tem ficado enfraquecida nos últimos anos e a coisa complicou ainda mais com as mudanças que favoreceram as principais ligas com mais vagas na Liga dos Campeões. Só conquistando mais pontos na Europa se conseguirá recuperar a posição de um passado recente. No entanto, o cenário não está fácil. Com Rio Ave e Braga afastados da Liga Europa, restam-nos os 3 grandes nas provas europeias. Que as boas prestações de FC Porto, Benfica e Sporting possam ajudar a iniciar essa recuperação.

A Dúvida – Problema resolvido?
Depois de um período em que esteve afastado dos treinos da equipa principal do FC Porto, Moussa Marega voltou a ser reintegrado nos treinos do dragão. Tal como já aconteceu no passado (no FC Porto e noutros emblemas nacionais), o mercado acaba sempre por mexer com o plano emocional de alguns jogadores, que nem sempre conseguem perceber os interesses do clube em detrimento dos seus. Sérgio Conceição já referiu que apenas contará com o jogador se este mostrar comprometimento total com a equipa. Problema resolvido?

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade