Visão de jogo

António Oliveira
António Oliveira

Ganhar é o melhor remédio

Domingo será dia de clássico na Luz. Um jogo importantíssimo nas contas do título, com Benfica e FC Porto à procura de uma vitória que os coloque mais perto dessa meta que é o principal objetivo da temporada para ambos os clubes. O duelo entre águias e dragões terá ainda no Sporting um espectador atento, face à possibilidade de se aproximar dos lugares da frente.

Há algumas semanas, a maioria dos prognósticos apontava para que o FC Porto chegasse ao clássico na frente da classificação. Tal não aconteceu. Duas derro tas nas últimas duas deslocações (Paços de Ferreira e Belenenses) inverteram o cenário e neste momento os portistas têm um ponto a menos do que os encarnados. O Benfica conseguiu capitalizar o facto de apenas ter o campeonato para disputar e, após a eliminação das taças e competições europeias, arrancou para um ciclo de 12 vitórias e 2 empates na Liga (neste momento, leva mesmo 9 vitórias consecutivas).

Depois de um início de época algo atribulado, Rui Vitória acertou um novo sistema e a equipa começou a crescer de jornada em jornada. O jogo com o Sporting, no qual as águias foram dominadoras e fizeram uma exibição consistente, acabou por servir de tónico para a melhoria que se verificou nos jogos seguintes, chegando a esta altura com o melhor ataque do campeonato.

Já o FC Porto, que durante vários meses se exibiu com grande fulgor e dinâmica coletiva, começou a ressentir-se das lesões de alguns jogadores importantes e também do cansaço que alguns atletas começaram a evidenciar (vários atletas têm 40 ou mais jogos nas pernas esta temporada). No entanto, a equipa mantém-se firme no objetivo de conquistar o campeonato, tem a melhor defesa da prova e depende apenas de si própria. E não há melhor forma de motivação do que enfrentar o principal rival e tentar superá-lo.

Será um jogo de grande tensão. Por tudo aquilo que tem acontecido ao longo da temporada, dentro e fora das quatro linhas. Interessa sobretudo que o jogo se destaque pela qualidade técnica dos jogadores, pela dimensão tática que os treinadores vão trazer à partida (preveem-se interessantes duelos em várias zonas do terreno) e pelo bom desempenho da arbitragem.

Olhando para cenários, uma vitória do Benfica criaria uma distância de 4 pontos, que, não sendo decisiva, daria uma almofada pontual confortável para encarar os restantes 4 jogos, dando claro favoritismo aos encarnados. Por seu lado, se forem os dragões a ganhar na Luz, passariam a ter novamente 2 pontos de vantagem. Ficando em boa posição, reforçariam a candidatura ao título, porém, sem margem para erro nas partidas seguintes. Já um empate entre as duas equipas, além de manter tudo como está (embora apenas o Benfica passasse a depender de si mesmo para ser campeão), pode aproximar o Sporting dos dois primeiros lugares. E é bom relembrar que, na próxima época, apenas duas equipas se vão apurar para a Liga dos Campeões.

Nestes derradeiros momentos do campeonato, todos os pontos são vitais. Daí que surja uma grande curiosidade para ver a forma como as duas equipas vão encaixar e que dinâmicas vão tentar implementar para superar o adversário. Ninguém quer perder. Ganhar vale 3 pontos e vantagem no confronto direto. Teremos, por isso, um jogo mais fechado, decidido em pormenores (bolas paradas, jogada individual ou um deslize fatal), ou uma partida mais aberta com ambos os lados à procura do golo? Têm a palavra Rui Vitória e Sérgio Conceição.


O craque -- Selo de qualidade

Quando Rúben Neves foi lançado pelo FC Porto, rapidamente se viu que era um jogador acima da média. A venda precoce levou-o para o Wolverhampton, equipa do segundo escalão inglês, que está prestes a garantir subida à Premier League. Ali, o jogador tem sido uma das principais estrelas, mostrando qualidade para atuar a um nível superior. Titular absoluto, já apontou 6 golos, fazendo uso da boa meia distância. A ótima leitura de jogo, capacidade de passe e inteligência posicional, fazem do jovem médio um dos candidatos à vaga de Danilo na lista de 23 que Fernando Santos levará à Rússia.

A jogada -- Semana difícil

O Sporting viveu uma semana conturbada. O extremar de posições entre presidente e jogadores, que depois se alastrou a adeptos, dirigentes e acionistas, numa fase decisiva da temporada, acaba por surgir no pior momento possível. A partir daqui, nada será como dantes, o que coloca algumas dúvidas em relação ao futuro leonino. Alguns sócios entendem que Bruno de Carvalho deve deixar a liderança do clube, mas acredito que este pretenda continuar o seu projeto. Uma coisa parece certa: algo vai ter de mudar para se acabar com o constante clima de instabilidade.

A dúvida -- Desafio grego

Pedro Martins será treinador do Olympiacos na próxima época. Uma excelente oportunidade de carreira par a o técnico, num clube que luta por títulos e tem a hegemonia do futebol grego. No entanto, trata-se de um desafio peculiar. Leonardo Jardim, Vítor Pereira, Marco Silva e Paulo Bento também passaram pelo clube com sucesso, mas nenhum deles ficou mais do que uma temporada na Grécia e alguns até saíram a meio do projeto. E esta época o Olympiacos já vai no terceiro treinador. Conseguirá Pedro Martins trazer maior estabilidade ao comando técnico?



Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade