Visão de jogo

António Oliveira
António Oliveira

Tempo de crescer

1 – Começou o campeonato e com a primeira jornada cumprida, as primeiras impressões vêm confirmar o que José Peseiro, treinador do Sporting, havia preconizado algumas semanas antes: depois de um defeso muito complicado, os leões partem com atraso, em relação aos rivais, na luta pelo título. Ao contrário dos rivais, a equipa leonina conseguiu a sua vitória em Moreira de Cónegos de forma mais sofrida e bem menos autoritária do que demonstraram os rivais FC Porto e Benfica nos seus respetivos jogos de estreia no campeonato. O mais importante foi ganhar os 3 pontos, mas a formação de Peseiro precisa ainda de mais tempo para subir o seu patamar competitivo.

O Sporting entrou na nova época numa espécie de "contrarrelógio", dado que após a destituição da anterior direção, a comissão de gestão liderada por Sousa Cintra teve de atuar muito rapidamente para que a nova época fosse devidamente acautelada. Entre garantir o regresso de alguns dos jogadores que tinham rescindido contrato unilateralmente com o clube e encontrar novos reforços para colmatar lacunas existentes no plantel, José Peseiro teve de arrancar com os trabalhos de preparação ainda sem saber com que elenco final poderia contar.

O regresso de elementos como Rodrigo Battaglia, Bruno Fernandes e Bas Dost, ajudou a manter uma parte do núcleo duro da espinha dorsal do ano anterior. E foram estes 2 últimos elementos que deram uma contribuição vital para desbloquear uma partida que estava a ser muito complicada, na qual o Moreirense teve mais posse de bola (60%), o que não é habitual, e momentos em que o Sporting esteve muito longe da baliza adversária.

Sem a recuperação da criatividade de Bruno Fernandes e da capacidade de finalização de Bas Dost para a equipa, as coisas poderiam ter sido muito mais complicadas. A vitória dá margem para respirar e continuar a trabalhar uma equipa, que apresenta novas ideias (face às de Jorge Jesus) que precisa de tempo para ganhar rotinas e interiorizar princípios. No entanto, o calendário não para e os leões terão a sua primeira grande prova de fogo já dentro de uma semana, quando visitarem o Estádio da Luz, para jogar com o Benfica na jornada 3.

2 – Diogo Leite no FC Porto, Gédson Fernandes no Benfica e Jovane Cabral no Sporting. Estes miúdos da formação dos 3 clubes estrearam-se nas equipas principais e começam a ganhar minutos de utilização que lhes dote de uma maior maturidade competitiva. Percebe-se a euforia, sobretudo dos média, face ao potencial lançamento de novas estrelas, mas nesta fase, para os atletas, o principal passo é terem a oportunidade de jogar.

O potencial é grande, mas estão longe de serem jogadores feitos e têm ainda um longo caminho a percorrer para efetivamente se afirmarem como mais-valias. É preciso tempo para que os jogadores possam aprender com os erros (que acabarão por cometer) e poderem crescer ao nível da leitura do jogo, da pressão que lhes recai dentro e fora do campo e na capacidade de desenvolverem ainda mais valências de jogo para jogo.

É importante que os jovens provenientes da formação possam ter aproveitamento competitivo nos grandes do futebol nacional. Em tempos recentes, nem sempre foi assim. Mas para bem dos jogadores não se pode embandeirar em arco ao fim de 2-3 jogos, colocando-lhes rótulos e marcas milionárias. Não traz nada de positivo ao rendimento dos mesmos. Basta dar-lhes espaço para crescer. A seu tempo, a qualidade virá ao de cima.


O Craque – Boa forma de Horta
Ricardo Horta está a iniciar a 3.ª época ao serviço do Braga. Depois de duas temporadas em bom nível, nas quais apontou 21 golos em 87 partidas, o atacante parece apostado em fazer ainda melhor este ano, correspondendo com golos e boas exibições nas primeiras partidas oficiais dos bracarenses. Jogador rápido, inteligente na procura de espaços e com bons remates de meia distância, podendo atuar nas faixas ou num sistema de 2 avançados, trata-se de uma peça importante na equipa de Abel Ferreira. Um atleta que tem evoluído bem e que, aos 23 anos, pode ainda sonhar mais alto.

A Jogada – Faltam dois jogos
Uma etapa está cumprida. O Benfica eliminou os turcos do Fenerbahçe e garantiu assim a presença no decisivo playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, em busca de uma vaga que lhe garante um valioso prémio financeiro, além da importante participação desportiva na principal competição europeia de clubes. As águias mostraram ser superiores e controlaram o rumo dos acontecimentos em Istambul. Segue-se agora o PAOK, vice-campeão grego onde joga o português Vieirinha. Um adversário que parece estar ao alcance dos encarnados, mas será preciso mostrá-lo dentro de campo.

A Dúvida – Estreia transalpina
Cristiano Ronaldo inicia amanhã a sua aventura na Séria A. Tudo indica que o seu primeiro jogo oficial será frente ao Chievo no arranque do campeonato italiano. Uma nova etapa na carreira, na qual renovará objetivos e continuará a enriquecer um palmarés de enorme valia, após ter passado 6 anos no Manchester United e 9 no Real Madrid. Aos 33 anos, pode tornar-se o primeiro jogador a ser campeão (e também o melhor marcador) nas 3 maiores ligas europeias: Inglaterra, Espanha e Itália. Novos títulos e recordes a caminho para o internacional português?

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.