Saída de campo

Bernardo Ribeiro
Bernardo Ribeiro Diretor de Record

Estão a falar a sério?

Na mesma semana em que percebemos que em Portugal as instituições que regem o futebol não conseguem sequer combinar quem se senta com quem para resolver o problema das nomeações, ficámos ontem muito mais descansados porque temos um Conselho de Disciplina que fecha um pavilhão quatro jogos por insultos homofóbicos. E isto dois dias antes de essa equipa estar a representar o país na Liga dos Campeões de Futsal. Ora se Conceição já tinha dado o exemplo holandês, onde o Ajax foi poupado na liga interna enquanto o FC Porto teve de preparar o Liverpool, sabendo que tinha apenas dois dias para descansar antes do Santa Clara, eis que ficámos com a certeza de que assim é que é. Responsabilidade acima de tudo. Para quê pensar no papel dos clubes nas competições europeias quando qualquer altura é boa para castigar?

Especialmente atencioso no entendimento do CD é o facto de colocar os insultos homofóbicos acima do respeito pela vida humana. Pode gozar-se com a morte de um adepto do Benfica que faleceu na vinda de um jogo fora. Dizer para uma equipa morrer como a Chapecoense. Ou mesmo glorificar anos após anos o very-light que deixou duas crianças sem pai. Paneleiro é que não. Aquele grito que é cantado contra o Benfica em tantos estádios vai dar castigo ou os heterossexuais não contam? Haja paciência.
6
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade