Record

Análise ao dérbi

Bernardo Ribeiro
Bernardo Ribeiro Diretor adjunto de Record

Muita emoção mas futebol pode melhorar

O empate da Luz terá parecido a Rui Vitória quase uma derrota e a José Peseiro um mal menor quando o jogo acabou. Só que Luís Castro mais tarde faria uma gracinha no Dragão e quem terá gostado pouco de ver fugir os rivais terá sido Sérgio Conceição.
A vida tem destas coisas. Às vezes muda por completo num curto espaço de tempo.

O dérbi que tanto prometia nos primeiro 15 minutos acabou por não ser aquilo tudo. Ainda assim foi emotivo, teve nuances táticas interessantes, oportunidades de golo e virilidade q.b. O que faltou foi melhor futebol. Os da casa atacaram mais e foram mais incisivos, mas demonstraram algumas dificuldades em libertar-se da primeira linha de pressão leonina, demorando a entender como rodear um meio-campo onde esperariam Petrovic ou Misic e Acuña foi uma carta mais difícil de baralhar. Os encarnados têm momentos em que prometem muito mas depois parecem perder-se um pouco.

Olho para o plantel do Benfica e fico com a sensação de que estes jogos de início da época não deviam pesar tanto nas pernas dos jogadores. Não porque não sejam muitos, mas porque me parece que Rui Vitória está a jogar sempre com os mesmos. Obviamente, não vejo os treinos dos encarnados e Vitória saberá melhor quem merece. ou não oportunidades, mas num plantel tão rico a rotatividade pode trazer frutos positivos e mais intensidade.

Do lado leonino ficou nítido que a equipa quer corresponder ao momento complicado vivido pelo clube e que os jogadores estão prontos para suar. Grande união em campo e Nani a tentar justificar o papel de capitão, não só com a entrega total, mas também com o exemplo na relação com árbitros e companheiros de equipa.

Resta saber se Peseiro e a candidatura leonina resistirão a uma certa escassez de meios. Ao Benfica faltavam Jonas, Castillo e Salvio, ao Sporting Viviano, Mathieu, Bruno César e Bas Dost. Mas Vitória ainda lançou mão a Zivkovic, Seferovic e João Félix (esse miúdo maravilha decisivo). Já Peseiro tinha Petrovic, Bruno Gaspar e Castaignos. Numa prova longa, esta diferença pode ditar distâncias. Ajuda ter os melhores.

O empate acaba por se aceitar, apesar de o Benfica ter sido superior em vários momentos do jogo. O leão soube nunca perder a cabeça nos momentos de maior aperto e terá faltado maior ambição a José Peseiro, que nunca lançou, por exemplo, Jovane Cabral ou Matheus Pereira, apesar de as suas unidades ofensivas estarem já demasiado cansadas e incapazes de esticarem o jogo.

No fundo, o que parecia pouco acabou por ser mais do que suficiente, ainda que hoje tanto Vitória como Peseiro possam ser ultrapassados por Nuno Manta, o que não deixa de ter a sua piada.
A Liga vai ser longa e esta vantagem sobre o FC Porto nada significa, mas sabe sempre melhor andar à frente do que atrás. Espera-se que águias e leões continuem a dar tudo como fizeram ontem. Mas podem jogar um bocadinho mais.

NOTAS DE RODAPÉ:

5. Salin está longe de ser um grande guarda-redes, mas ontem teve uma noite muito boa. Apesar de algumas estiradas para a fotografia, foi peça essencial para o Sporting sair da Luz empatado. E recompôs-se do frango da jornada passada. 

4. João Félix é um dos miúdos de enorme talento que o Benfica produziu nos últimos anos. O golo é de excelente execução, mas o menino é muito mais do que isso. Com Jota, um dos grandes craques da geração. Uma verdadeira delícia o que joga. 

3. Luís Godinho será o novo menino-bonito da arbitragem portuguesa. Pode ser que lá chegue, mas ainda lhe falta muito. Critério, coragem e condução de jogo. Não teve influência no resultado, o que num jogo destes é já quase tudo o que pedimos. 

2. O banco do Sporting é ainda escasso em opções de qualidade. Quando quis refrescar, Peseiro lançou para o relvado Petrovic, Castaignos e Bruno Gaspar. O técnico já sabia ao que ia e será com estes que terá de concorrer. Por difícil que seja. 

1. Claques. Continuam os problemas, os que o IPDJ tanto tem feito por ignorar. Um petardo a rebentar perto de Salin e fumos nas bancadas. Vai sair uma multa para os cofres da Liga e o problema vai manter-se. Muito à portuguesa. 
Deixe o seu comentário
M