Record

Interrogatório

Bernardo Ribeiro
Bernardo Ribeiro Diretor adjunto de Record

Vitória justa contra um rival em cacos

Qual a influência do ato de terrorismo de 3ª feira na final da Taça ?

É impossível calcular a extensão da mesma, mas é indesmentível que ela existiu. A equipa do Sporting não treinou esta semana, a cabeça dos jogadores está afetada e um jogo destes não se ganha assim. Quem não tem culpa é o Aves, que fez o seu jogo, competente, uma exibição em alguns momentos brilhante, sabendo também sofrer e sendo, por isso, um justo vencedor.

O que falhou no Sporting?

Muita coisa. Primeiro o jogo interior, onde a influência de William foi quase nula. Depois as pernas, pois uma equipa profissional não pode estar uma semana sem treinar, ainda que sem culpa nenhuma. A finalização foi outra pecha grave. Gelson e Bas Dost tiveram oportunidades claras nos pés. Mas a análise técnica e tática a um jogo destes, sendo possível, acaba por estar influenciada por fatores que nada têm a ver com desporto.

Jesus fez bem em insistir em William Carvalho?

É uma opção que não entendo muito bem desde o dérbi. O Sporting vinha de seis vitórias consecutivas, Bryan Ruiz assumia o papel de dinamizador do meio-campo e William foi o pior frente ao Benfica, tendo sido o primeiro a sair. Hoje repetiu a dose, assim como na Madeira. O meio-campo do Sporting nunca mais funcionou. Mas JJ é que treina com os jogadores e sabe melhor como estão.

O Aves foi vencedor justo?

Justíssimo. Uma equipa muito competente, que soube aguentar o ímpeto inicial do Sporting, teve forma de travar as alas leoninas e soube olhar para a baliza de Patrício com atenção. A superioridade no jogo interior foi evidente durante grande parte do encontro e Guedes acabou por ser o expoente máximo da ambição incutida por José Mota.

Qual o impacto da derrota na crise leonina?

É difícil dizê-lo. Pode mudar a perceção dos adeptos em alguns pontos, mas não é o mais importante. O Sporting continua a ter um plantel onde são prováveis rescisões e um presidente odiado no balneário. Muito triste.

Deixe o seu comentário
M