Heróis de chuteiras

César Rodrigues
César Rodrigues Investigador

Fado e samba

Um Campeonato do Mundo que não o era. Em 1972, Portugal participou no Torneio de Independência do Brasil, competição que pretendia celebrar os 150 anos do Grito do Ipiranga ,"Independência ou morte", lançado pelo príncipe D. Pedro nas margens daquele rio, em 1822.Também conhecida por Minicopa, a competição foi jogada em doze estádios e apresentou uma estrutura similar a um Mundial, com a diferença de ter… ainda mais equipas!

Nos primeiros sete jogos, a Seleção alcançou seis vitórias e um empate, chegando ao jogo derradeiro. Pelo caminho, estreou-se na Seleção Nacional o guarda-redes Félix Mourinho, o pai muito Special de um tal de José! Na final, disputada contra os anfitriões, os portugueses seriam derrotados nos últimos segundos, com um golo gritado pelo brasileiro D. Jairzinho.

A normalidade voltava a impor-se perante uma seleção que ganhara três de quatro Mundiais. Afinal, o Brasil não perdia um jogo há seis anos, ‘cortesia’ dos Magriços, alguns presentes na Minicopa como Eusébio, Jaime Graça, Peres e ainda José Augusto, no papel de selecionador. Aquando da vitória lusitana sobre o Brasil em 1966, a imprensa nacional afirmaria que "desde o Grito do Ipiranga que não havia momento mais emocionante – e mais explosivo – na história das relações luso-brasileiras do que o grito de Liverpool". Agora a alusão política ressurgiria em registo inverso: "Vitória da antiga colónia contra a Metrópole".

No final, após receber o troféu, o capitão Gerson, em gesto de grande simbolismo, entregou-a a Eusébio, proferindo elogiosas palavras: "Portugal também merecia ficar com a Taça", não ficando surpreendido caso, em 1974, Portugal se impusesse "na liderança do futebol europeu". Enganou-se! No apuramento para o Mundial seguinte, Portugal apenas venceria os frágeis cipriotas.

Ficava para trás um torneio pontuado a fado e samba. E na linha das tão usuais vitórias morais afirmava-se: "Taça para lá, glória para cá!". Na Rússia talvez a seleção não se importe com um registo oposto – glória para lá, taça para cá! Por cá ninguém levará a mal!

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.