Heróis de chuteiras

César Rodrigues
César Rodrigues Investigador

Paraquedista de Berna

No Rússia’2018, não mais jogará a Alemanha. Em momento de tristeza germânica, lembramos Friedrich Walter, capitão no primeiro título alemão, em 1954 e um dos melhores de sempre da seleção. Participaria ainda no Mundial da Suécia’58 e, aos 42 anos, recusaria a possibilidade de marcar presença no Chile’62.

O capitão Fritz foi guerreiro dentro e fora do campo. Em 1940 e já em plena Segunda Grande Guerra, venceu o primeiro combate pela Alemanha (9-3), derrubando com três golos uns indefesos romenos.
Em 1942, a seleção germânica teve de suspender a sua atividade no dia em que Fritz contribuía para derrotar a Eslováquia por 5-2. Após 19 golos, a guerra calava os seus festejos e o futebol alemão e chamava o capitão para o pior dos jogos: o de matar para sobreviver.

Despida a camisola da seleção, Fritz foi convocado para vestir o uniforme da Força Aérea Alemã (Luftwaffe) como paraquedista do III Reich e, a partir dos céus da Europa, conheceu outros estádios… de terror, acabando na Rússia como prisioneiro de guerra. Após o conflito, o seu paraquedas nunca mais se abriu e os combates silenciaram a sequência de Mundiais de 1942 e 1946, impedido a participação alemã no Brasil, em 1950. Depois da Guerra, o futebol resgataria a Alemanha das cinzas com o título Mundial à custa da Hungria, uma das melhores seleções da história, comandada pelo Major Galopante Ferenc Puskas.

Durante seis anos, a Hungri perderia somente ‘o tal’ jogo! O poderio húngaro ficou patente na fase de grupos, ao vencer os alemães, por 8-3, num grupo com a Turquia e os sul-coreanos, agora de má memória! Aos 34 anos, Fritz, com o irmão Ottmar Walter, ergueu a Taça Jules Rimet e tornou-se o herói orgulhoso de uma guerra inócua. Foi capitão, comandou a seleção e fez explodir de júbilo os alemães com o ‘Milagre de Berna’.

Joachim Löw igualou o recorde negativo com 80 anos do selecionador alemão Sepp Herberg, responsável pela eliminação germânica na primeira ronda do França’38. Porém, foi Hergerg que, 16 anos depois, venceu o Mundial’54. A reter: há sempre novo jogo! Com ou sem Löw, mas nunca com Löw… expectation!

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais