Heróis de chuteiras

César Rodrigues
César Rodrigues Investigador

Um Pelé no Gulag

Hoje joga a Rússia e lembramos Eduard Streltsov. Impedido de participar no Mundial da Suécia (1958), no qual se revelaria Pelé, Streltsov viria mais tarde a ter a alcunha de ‘Pelé Russo’, dando também nome ao passe efetuado com o calcanhar que, por lá, ainda hoje se chama ‘passe Streltsov’.

Contemporâneo do ‘Aranha Negra’, Lev Yashin, o único guarda-redes premiado com a Bola de Ouro da France Football e grande especialista em defender penáltis (mais de uma centena de penalidades defendidos… apesar de batido por Eusébio em 1966), Streltsov iniciou de forma fulgurante o seu trajeto na seleção da URSS com dois hat tricks nos dois primeiros jogos e contribuiu para a conquista do ouro nos Jogos Olímpicos de Melbourne de 1956.

Em 1958, Streltsov revelava-se como uma das figuras da seleção, mas, ao mesmo tempo, não relevava grande disponibilidade para acatar algumas das sugestões das estruturas soviéticas. Naquele tempo, seria uma questão de… tempo para que o seu comportamento fosse castigado e o momento surgiu imediatamente antes do Mundial sueco, impedindo o sonho da sua participação. Convidado por um general soviético para uma festa com outros jogadores, muitas garrafas de vodka e mulheres, foi acusado de violação (nunca provada) e a sua vida tornou-se uma sombria montanha russa de fatalidades.

Após esse episódio, enquanto a seleção soviética seguia para a Suécia (seria eliminada nos quartos-de-final pelos anfitriões), o ‘Pelé Russo’ era encaminhado para o gulag siberiano de Lesnoi, onde cumpriu pena até 1964.

Viria a resistir ao jogo da roleta russa e, depois da libertação, voltaria à seleção para ser considerado futebolista do ano entre 1967 e 1968. Esta é a memória de um grande jogador a quem foi sonegada a possibilidade de fazer parte da história dos mundiais.

E apesar de contarem agora com goleadores como Dzyuba, o ‘Pelé Russo’ acrescentaria algo à seleção. O mesmo se poderia dizer do ‘Aranha Negra’, capaz de urdir uma boa teia defensiva, talvez o setor mais frágil dos russos.
Que o jogo tenha golos e, com sorte, a magia de passes à Streltsov.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade