José Ribeiro
José Ribeiro Editor chefe

Números que impressionam

Fernando Santos é o melhor selecionador da história do futebol português? Se o critério for o dos resultados, sem dúvida. Não sou particularmente fã da forma como habitualmente Portugal aborda os jogos (a seleção de Humberto Coelho, em 2000, foi a que mais me encheu os olhos), mas a verdade é que tem demonstrado, desde 2014, uma tremenda eficácia. E isso é decisivo na hora da verdade.

No Estádio da Luz, frente à Suíça, o selecionador cumpriu o 44.º jogo por Portugal e somou a 30.ª vitória. Significa que tem uns impressionantes 68 por cento de triunfos. Maior percentagem de êxitos apenas um outro conseguiu: Manuel da Luz Afonso (75%), mas só fez 20 jogos. No entanto, se compararmos Santos e Luz Afonso em termos de partidas oficiais, a vantagem vai direitinha para o atual Campeão da Europa, com 75,8% contra 69,2, ou seja, quando é ‘a sério’ Fernando Santos não facilita, mas nos ‘particulares’ dá tantas abébias que ganha pouco mais de metade dos jogos que orienta.

Apenas três treinadores se sentaram mais vezes no banco de Portugal do que Fernando Santos: Scolari (74 jogos), Carlos Queiroz (49) e Paulo Bento (47). Santos tem acumulado resultados superiores em mais de dez por cento de vitórias, se comparado com este trio. Quando arrancar o próximo Campeonato do Mundo, o atual selecionador já será o segundo com mais partidas disputadas ao serviço de Portugal. E o que mais desejamos é que regresse da Rússia com as atuais (ou melhores) percentagens de vitórias em jogos oficiais.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade