Futebol à portuguesa

José António Saraiva
José António Saraiva Diretor do Sol

A nova Seleção

Na Seleção portuguesa convivem hoje duas seleções: a ‘velha’, que inclui jogadores como João Pereira, Eliseu, Bruno Alves, Pepe, Ricardo Carvalho, João Moutinho, Ronaldo ou Nani, e a ‘nova’, que integra Cancelo, Nélson Semedo, Raphael Guerreiro, William Carvalho, André Gomes, Bernardo Silva, Renato Sanches, Gelson Martins e André Silva. E a estes junto Adrien, que não é um jovem mas só agora se afirmou, e Gonçalo Guedes.

No campeonato europeu ainda prevaleceu a ‘velha Seleção’. Que praticou um futebol pastoso e nada espetacular. Ganhou mas sem brilho. Foi bafejada pela sorte nos momentos decisivos. Mas nestes jogos de apuramento para o Mundial já a ‘nova Seleção’ começou a impor-se. E esta pratica um futebol alegre, vivo, espetacular. Consegue aliar o espetáculo à eficácia.

Reparará o leitor que não falei de dois jogadores: Ricardo Quaresma e João Mário. E fi-lo propositadamente. É que Quaresma, sendo um veterano de 33 anos, joga com uma alegria e uma velocidade que o aproxima mais da ‘nova Seleção’. E João Mário, sendo um jovem de 23, parece cada vez mais pertencer à ‘velha Seleção’. Raramente arrisca uma jogada de um para um, trava constantemente o jogo, passa para trás em vez de correr para a área. Julgo que involuiu em vez de evoluir.

O problema da ‘nova Seleção’ parece estar nos centrais. Bruno Alves, Carvalho e Pepe estão a arrumar as botas. Mas José Fonte (32) ainda aguenta uns anitos e Ruben Semedo em breve se afirmará. Esta ‘nova Seleção’ vai dar muitas alegrias aos portugueses.

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade