Nuno Farinha
Nuno Farinha Diretor adjunto

Cada vez mais FC Porto

Pep Guardiola lembrou um dia, ainda em Barcelona, que quando uma equipa ganha muitas vezes acaba por perder o apetite. E ficando de barriga cheia, sem fome, então está mais perto de começar a perder. É uma teoria que se tem confirmado e que, por exemplo, pode estar a acontecer agora ao Real Madrid. Zidane e estes jogadores "comeram" tudo o que era possível nas últimas duas épocas e, se calhar, chegou o momento em que já não apetece ver mais comida à frente. Na Liga espanhola tem 8 pontos de atraso e ontem em Londres, na Champions, voltou a perder e a agravar o cenário de crise.

O contrário também é válido: a fome aparece sempre que uma (grande) equipa está demasiado tempo sem ganhar. É o caso deste FC Porto, que continua a dar passos firmes para o regresso aos grandes banquetes. Se for capaz de manter o comportamento que ontem voltou a mostrar (frente a um excelente adversário), este dragão está condenado ao sucesso.

O mérito de Sérgio Conceição é ainda maior porque nem sequer escolhe competições para apostar muito e outras para apostar pouco. É tudo para levar a sério e ponto final. Deu esse sinal até em relação à Taça CTT, que nunca colheu muita simpatia junto do FC Porto. O processo de jogo é bom, mas é a fome que o comanda. E, como se vê, comanda muito bem.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade