Interrogatório

Nuno Farinha
Nuno Farinha Diretor adjunto

Nunca Rui Vitória tinha sido tão superior a Jorge Jesus

1 - O empate era o resultado mais ajustado em função daquilo que se viu neste dérbi?

Não. O Benfica foi superior em todos os parâmetros do jogo, mesmo sem criar muitas oportunidades de golo. É possível ser ameaçador e criar perigo sem o aparecimento de oportunidades. O líder foi sempre mais sólido do ponto de vista defensivo, mais seguro na posse, melhor nos duelos individuais e, sobretudo, mostrou mais vontade de vencer. O Benfica foi claramente melhor. Nunca, aliás, Rui Vitória tinha conseguido ser tão superior a Jorge Jesus.

2 - Melhor jogador em campo?

Pizzi. Exibição espantosa, a encher o relvado de Alvalade e a dar ordem e critério a toda a organização da sua equipa. Foi o ‘termómetro’ que decidiu tudo: ritmo, gestão da posse, momento de ir, momento de ficar, onde fechar, quando tocar a bola, quando segurá-la e sempre, sempre disponível para se sacrificar em missão defensiva, quando foi caso disso.

3 - O que mudou no processo defensivo do Sporting com a troca de Rúben Semedo por Paulo Oliveira?

Quase nada. O perfil de ambos os jogadores também não é assim tão afastado, embora Rúben Semedo seja mais rápido em espaços longos e permita à equipa subir o bloco e jogar mais adiantada. Como o Sporting ontem esteve mais perto da sua própria área do que é habitual, e havia pouco espaço nas costas, a inclusão de Paulo Oliveira, sendo surpreendente, acabou por fazer sentido. Mais: fez uma ótima exibição (praticamente sem erros) e talvez tenha garantido o lugar para os quatro jogos que restam. Veremos.

4 - O que justifica o erro grosseiro de Ederson?

Só o próprio poderá responder, mas é bom lembrar que já na jornada anterior esteve perto de perder a bola para um avançado do Marítimo, num lance em tudo semelhante a este. Tem muita qualidade no jogo de pés (esquerdo, sobretudo), mas passou a ‘facilitar’ sem que se perceba a razão para esta mudança de atitude. Em ambos os casos, a raiz do problema esteve na receção de bola.

5 - O Sporting chegou a parecer conformado com o empate. Faltou ambição?

O Sporting quis muito ganhar o jogo. Viu-se em vários momentos: na forma como Bruno César festejou um corte (!) junto à linha lateral logo aos 7 minutos; na forma como Alan Ruiz viu um amarelo por estar a queimar tempo no momento da substituição e até na forma como se entregou a decisão de bater o penálti ao especialista Adrien e não a Bas Dost...

3
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0