Saída de campo

Nuno Farinha
Nuno Farinha Diretor adjunto

O labirinto de Mourinho

A estrela de José Mourinho está mesmo a empalidecer e o destino de sonho que parecia ser o cadeirão de Old Trafford ameaça tornar-se, afinal, num labirinto interminável. O último desgosto aconteceu ontem: mais um desaire, mais uma frustração caseira, mais uma exibição sofrível e, assim, a possibilidade de ver já hoje os ‘inimigos’ (Manchester City e Guardiola) distanciarem-se para quilométricos 15 pontos (!) quando o campeonato ainda vai a meio. O pior de tudo, desta vez, não foi a fraca qualidade do futebol do United, nem sequer o 2-2 frente ao surpreendente Burnley. O pior, agora, foi perceber que o treinador está a perder o pé.

Mourinho tocou o céu em 2004 (FC Porto) e 2010 (Inter) quando venceu a Champions contra adversários com muito mais dinheiro. Para justificar o atual atraso para o City diz agora que "323 milhões de euros não são suficientes para competir". Chega a ser perturbador ouvir um treinador com um percurso tão notável argumentar desta forma.

Quem tem Pogba, Matic, Lukaku, De Gea, Mata, Mkhitaryan, Martial ou Ibrahimovic não se pode queixar. O que realmente separa os dois rivais de Manchester é aquilo que se vê em campo. E é aí, naquilo que está à vista de todos, que Mourinho precisa de encurtar distâncias e voltar a ser o génio que já mostrou ser. Hoje, o futebol do City é um sonho e o do United é um sono.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais