Contas feitas

José Ribeiro
José Ribeiro Editor chefe

Uma 'luta' particular

Ontem foi publicado nas páginas centrais deste jornal um trabalho curioso que colocou em paralelo as carreiras de Jorge Jesus e Rui Vitória. Quem nos deu a ideia foram os próprios treinadores, quando em conferências de imprensas esgrimiram com o que cada um tinha feito, ou não, e em que momentos das suas vidas. O que ressalta como óbvio é: esta época, pela primeira vez nos muitos anos que levam de banco, têm a possibilidade de lutar pelos mesmos objetivos. Nunca como agora estiveram num plano mais ou menos equivalente. Ser ano de estreia de Rui Vitória num grande não serve de 'desculpa', porque no equivalente de Jesus, este bateu o tricampeão Jesualdo Ferreira. Portanto, no final de maio, finalmente, poderemos responder à pergunta: qual foi o melhor?

Esta mesma questão, salvas as devidas distâncias, evidentemente, foi colocada há uns anos em Espanha, quando José Mourinho e Pep Guardiola coincidiram nos bancos dos dois colossos daquele país. Na Liga empataram. Cada qual ganhou um campeonato no par de anos que se defrontaram. A pergunta "quem é o melhor?" ficou (ainda) sem resposta.

Voltando a Jorge Jesus e Rui Vitória. Pode muito bem acontecer que ambos superem os seus antecessores em registo de pontuação na Liga e então ambos terão sido apostas ganhas. Mas no final só um ficará em 1.º. Ou não, porque José Peseiro ainda terá uma (grande) palavra a dizer nesta questão. Para já, a vantagem de Jesus é dupla: segue na frente da Liga e bate o anterior treinador do Sporting por 6 pontos (comparando com o mesmo período de 2014/15). Ao total de 26 pontos desperdiçados por Marco Silva (duas derrotas e 10 empates), JJ responde, para já, com apenas 9 perdidos (uma derrota e 3 empates), logo a margem de erro para fazer melhor ainda é muito grande. Olhando para Rui Vitória, há a destacar que se vencer em Moreira de Cónegos, no domingo, passará a ter apenas menos um ponto do que Jesus somava no final da jornada 20 da época passada, ou seja, estará em linha com um acumulado de 'campeão' e a possibilidade de ultrapassar os 85 pontos não é exagerada. Afinal, a partir da jornada 21, em 2014/15, Jesus deixou pelo caminho 7 pontos (uma derrota e dois empates).

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0