Área técnica

Helena Pires

Helena Pires

Helena Pires

A uma só voz

O passo dado para a criação do Conselho de Presidentes aumenta-nos a responsabilidade. A de ter um futebol profissional cada vez mais unido na hora da decisão, mesmo que até lá chegar o caminho possa, por vezes, ser mais sinuoso do que todos desejaríamos. Faz parte!

Será este um grande passo para o futebol nacional e que o tornará ainda mais democrático e rigoroso, fruto da agregação de todas as 32 Sociedades Desportivas, que passam a determinar as ideias gerais para um futuro positivo. Este reforço do poder por parte de cada um dos presidentes dos clubes é sinal de vitalidade de uma Liga que, por muito ruído que queiram criar, revela sinais de estar forte. E recomenda-se.

Estamos seguros do caminho a percorrer, elevando as vozes de todos os clubes, sem exceção, permitindo uma proximidade entre os presidentes. Os objetivos do futebol não podem ser individuais; os objetivos do futebol têm de ser coletivos e, quando esse patamar for alcançado, estaremos a caminhar definitivamente para um espetáculo mais profissional e rigoroso. E com maior promoção.

O esforço feito pelas Sociedades Desportivas nos últimos anos tem sido enorme. Também elas sabem que um futebol profissional precisa de uma Liga forte. O pensamento pertence ao dr. Hermínio Loureiro, vice-presidente da FPF e membro da Direção da Liga. Um antigo presidente desta casa que sabe a importância de ter uma modalidade fortalecida. E sentada a uma única mesa com vários pontos de discussão. É disso que se trata quando falamos de um futebol capaz de discutir, mas também de canalizar esforços num objetivo comum: o crescimento.

12.07.2018