Clube dos pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

Mourinho

Mourinho está muito mais calmo e sereno. Evita constantes picardias com colegas de profissão. A sua relação com Pep Guardiola é respeitosa e cordial, em tempos idos em Espanha, foi tempestuosa. Arsène Wenger é uma excepção, o seu relacionamento é mau.

Mourinho é sempre capaz de tirar um coelho da cartola. O Manchester United contra o Tottenham jogou com três centrais (Bailly, Jones e Smalling) e criou superioridade numérica com os alas (Antonio Valencia e Ashley Young).
Esta capacidade de modificar o seu esquema habitual mostra uma grande leitura de jogo e conhecimento pormenorizado do adversário.

Pode dizer-se que Harry Kane não jogou e seria diferente. Mas, também, o Manchester United ainda não pôde contar com Zlatan Ibrahimovic, que faz a diferença pela sua técnica e leitura de jogo, para não falar de Pogba, Fellaini e Rojo.

Depois do empate com o Liverpool 0-0, e da derrota por 2-1 perante o Huddersfield, esta vitória veio mesmo a calhar.
O Tottenham não perdia desde Agosto. Pochettino vinha com a lição bem estudada, moralizado de um bom resultado e exibição contra o Real Madrid. Todavia a entrada de Martial desequilibrou o resultado.

O grande rival de Mourinho na Premier League é Guardiola. Este ano estão na frente separados por cinco pontos. O ano passado não deu para este tipo de disputa. O Chelsea e Conte encarregaram-se de fazer a festa. Este ano Guardiola está adaptado e o seu Manchester City vai na frente, monopoliza a posse de bola e está demolidor.

Mourinho, conhecedor da Premier League onde já venceu três vezes, assenta o jogo em bloco com uma defesa intransponível (só sofreu 4 golos) e com uma competitividade elevadíssima, já marcou 23 golos só superado pelo Manchester City (35 golos marcados). O Manchester City está na frente com 5 pontos de vantagem, todavia Mourinho está à espera e à espreita. Este fim-de- semana o United vai jogar com o Chelsea e o City recebe o Arsenal.
No dia 10 de Dezembro será o grande embate entre ambos: o Manchester United recebe o Manchester City. Será um jogo em assistência e interesse ao nível de um Real Madrid-Barcelona.

Na Liga dos Campeões o Manchester United já está nos oitavos-de-final e o Benfica foi a sua recente vítima.
A crise de resultados porque passa o Real Madrid demonstra que ninguém é imune à adversidade, o mais difícil, é ser regular e estar sempre no topo, em qualquer clube, que é o caso de Mourinho, que passou um mau bocado em Madrid.

Zidane acabou de receber o prémio de melhor treinador, passados uns dias tem duas derrotas consecutivas: com o Girona, equipa modesta, recém-promovida; a seguir, perde com o Tottenham 3-1, de forma categórica e perante a Europa.

Nota: Miguel Oliveira, o nosso querido português de Almada que já tinha no domingo passado vencido o Grande Prémio da Austrália de Moto2, venceu, de novo, no Grande Prémio da Malásia. Mais cedo ou mais tarde vamos vê-lo correr em MotoGP.

Fundador do Clube dos Pensadores
*escrevo ao abrigo do antigo AO

1
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação deportiva.
  • conteudo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão e-paper do jornal no dia anterior
  • conteudos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais