Record

Fundador do Clube dos Pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

Neymar

Neymar, o eterno adiado sucessor de Messi e Ronaldo, afundou-se neste Mundial.

O futebol é rico em situações caricatas e folclóricas, mas Neymar é único e espectacular pela negativa.
Neymar, não há dúvida nenhuma é um predestinado e superdotado para o futebol, tendo tudo para ser o melhor, todavia, analisando bem o seu percurso, é um jogador que goza de enorme reputação, mas com um currículo de troféus limitado.

Todos os entendidos, em futebol, dizem que é o candidato a suceder a Ronaldo e Messi, mas não aproveitou essa possibilidade, o Brasil foi eliminado prematuramente do Mundial de futebol.

Neymar não é um profissional a sério, é mais inato do que treino, é mais jeito do que aplicado, contudo, ter jeito no futebol actual não chega. Depois da sua lesão no PSG, em vez de fazer, o que os médicos disseram para adiantar a sua recuperação. Foi para o Brasil, não ligou nada ao plano traçado e às recomendações, andou em festas, praia, música com os seus amigos num ambiente de adolescência. O rapaz não cresce e isso reflecte-se na sua carreira. É muito bom, mas podia ser melhor se se esforçasse. Procura desesperadamente ser futebolista a tempo inteiro, mas aborrece-se e não consegue.

Neymar tem um péssimo conselheiro que é o seu pai, sempre com exigências e pedidos estrambólicos, só vê dinheiro e nunca está no sítio e na hora certa.

Neymar é o exemplo paradigmático do futebol sul-americano: corrupção, exportação precoce de talentos, formação inadequada. Tudo isto faz com que a escola sul-americana esteja em declínio. Não está, ainda mais, porque a maioria dos seus jogadores joga na Europa e as diferenças atenuam-se.

O Real Madrid e Florentino Pérez quiseram trocar Ronaldo por Neymar, e foi uma das razões, que levou Ronaldo a querer sair do Real Madrid por desconsideração e falta de reconhecimento.

O Real Madrid está seduzido pelo seu peso mercantil mais do que pela sua realidade desportiva, tanto o Real Madrid como o PSG levam meses para definir a sua situação.

É inacreditável como Florentino Pérez que é tão cioso dos seus negócios preferir dar um aumento de ordenado a Ronaldo que até 2022 gastaria à volta de 40 milhões de euros e arrisca investir em Neymar em que a sua aquisição, a concretizar-se andará à volta de 400 milhões.

Não se compreende tal atitude, mas ele lá saberá porquê. Entendo que o ter que dividir protagonismo com Ronaldo, não é do seu agrado.

Posso enganar-me, mas o Real Madrid não vai fazer grande figura com Lopetegui um treinador menor e Florentino Pérez pode comprar quem quiser que tão cedo não vai fazer esquecer Ronaldo. O Real Madrid é grande, mas nenhum clube resiste à saída de um treinador querido e vencedor como Zidane e, a um super-jogador como
Ronaldo. Foram duas bombas seguidas.

Florentino Pérez também está a prazo em Madrid, procura manipular o orgulho espanhol e não ser responsabilizado pela saída de Ronaldo.

Neymar é caprichoso, instável emocionalmente, claudica nos momentos de maior pressão, está mal aconselhado e não tem perfil para ser o maior em Madrid.

Neymar tem que provar com títulos e jogos que merece ser o melhor jogador.

Nota: A França, neste mundial, provou que a derrota na final do europeu com Portugal foi um acidente. A Croácia merece estar na final.

Fundador do Clube dos Pensadores
Escrevo ao abrigo do antigo AO
Deixe o seu comentário