Clube dos Pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

Futebol português

O futebol é lindo de se ver, é show, paixão, emoção, às vezes loucura, mas não pode ser um manicómio.

Tinha uma amiga que me dizia que rezava para que no fim-de-semana a equipa do marido ganhasse, para o ambiente em casa não se tornar insuportável.

Um jogo não passa disso, funciona como uma alienação saudável e depois deve acabar. Em Portugal, o futebol é dado a exageros.

Tudo que passa isto, torna-se doentio e funciona como uma droga. Há cenas no futebol português difundidas e tornadas públicas que parece saídas de um manicómio, casos e mais casos que tolhe o futebol, telenovelas futebolísticas que pedem meças a qualquer verdadeira telenovela televisiva.

Devemos ter orgulho em pertencer a um clube, mas isso não é uma droga que nos leva a ser contra tudo dos outros.

O jogo é um delírio saudável e uma batalha de inspiração, mas jogado com correcção e sem artefactos extra-jogo.

Infelizmente para além do jogo propriamente dito, vem depois de terminado um processo fantasmagórico de dissecar até à exaustão o jogo. Para lá dos noventa minutos há brigas, discussões acaloradas, polémicas, e por vezes, desrespeito de uns pelos outros chegando a ser um show pós-jogo.

No futebol o resultado não pode ser tudo o que importa, mas a forma como se o consegue.

Infelizmente o futebol português tornou-se um circo, mas deveria ter um pouco mais de rigor e seriedade. Todas as opiniões são válidas e úteis, as críticas, ainda mais, pois, ajudam a melhorar as coisas.

Todavia, se se tem uma opinião contrária ou não vai de acordo com o pensamento dominante pró-clubite, é-se devorado pelo ruído dos comentários, redes sociais, de uma forma deselegante com palavras pesadas grosseiras e inflamadas.

Gostar de futebol é um modo de vida, mas também um modo de estar na vida. As pessoas também se distinguem na forma como abordam o futebol.

O futebol é um jogo que tem tanto de belo como de cruel e que influencia uma sociedade para o bem e para o mal.

Actualmente não tenho preferência por nenhum clube, tornei-me um fã da selecção nacional, mas fico feliz quando algum clube português vence em competições internacionais ou joga bem.

Este ano o Benfica está uma desgraça e precisa de uma revolução, de um treinador de topo e jogadores de mais qualidade. O Benfica tem excesso de jogadores, é preferível ter menos e bons. Qualquer treinador de topo não quer vir para uma equipa que não jogue a Liga dos Campeões, esse é o problema actual do Benfica.

O Porto está imparável e vai a caminho do título, esperemos que a campanha na Liga dos Campeões prossiga eliminando a Roma. Saúdo a chegada de Pepe, um jogador fantástico.

O Sporting depois de tudo que se passou lá vai e não é obrigado a mais. O Braga tem estado muito bem, assim como o nível exibicional das equipas chamadas "pequenas", mas com uma qualidade de jogo muito boa. O fosso que havia antigamente entre os ditos "grandes" e os ditos "pequenos" esfumou-se para bem da competitividade.

O problema do futebol português não são os jogadores, que são de altíssima qualidade, mas tudo que gira à volta deles.

 
Fundador do Clube dos Pensadores

*escrevo ao abrigo do antigo AO

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais