Clube dos Pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

VAR

O uso do VAR (video assistant referee) tem a capacidade de tornar o jogo mais justo, depende muito das circunstâncias em que ele é usado. O VAR não garante 100% de eficácia, mas melhora o juízo da arbitragem.

Com o VAR o jogo perde cadência e muitas vezes grita-se golo e faz-se uma festa e depois o golo é anulado. Tem-se uma sensação de frustração, uma máquina é que decide o festejo da beleza de um golo. É caricato festejar-se o golo duas vezes, ou a seguir ao festejo, vem a decepção para a equipa que marcou e uma festa a quem o golo é anulado. Incrível! Em muito pouco tempo sensações díspares e extremas.

Assim aconteceu no Inter de Milão – Juventus com o golo de Ronaldo que foi anulado, por suposto fora de jogo, de Dybala numa jogada maravilhosa, mas que foi atirada para o lixo porque não contou.

Num jogo uma coisa é a acção pura e dura, e outra bem diferente, o exame minucioso numa sala fria, tecnológica e remota, mais parecendo um tribunal. Evidentemente ver na televisão nem sempre temos a noção da verdade e sobre a intensidade de um derrube ou corte ou agarrar o adversário.

Todavia o lance em que interveio Ronaldo em lugar de ajudar exagerou o erro, Dybala estava em linha, se há fora de jogo é por uma unha. As repetições medem com rigor, mas não é fácil saber com precisão milimétrica o momento em que a bola sai do pé de quem passa.

Outro problema do VAR é a interpretação das mãos dentro da área.

O VAR é importante para ajudar o árbitro, mas também está a tornar-se um meio de atrapalhar as decisões previamente correctas. Mesmo com o vídeo poderiam ser interpretadas de outra forma.

No fim de contas, acredito que o sistema possui mais vantagens que desvantagens, se for utilizado de forma correcta.

Muitos pensam que o VAR surgiu para tirar qualquer dúvida sobre um lance, mas não é bem assim, já que o seu propósito, é na verdade, ser mais uma maneira de vermos o lance, sobre diferentes pontos de vista. No final, o que vale é a opinião do árbitro.

O VAR, ainda, tem espaço para melhorar, para que fique cada vez menos injusto e imperfeito.

O VAR ainda é utilizado apenas em situações de golo, cartões vermelhos, penáltis e identidades trocadas. Mas existem muitas outras situações que podem mudar o rumo de um jogo, até mesmo uma falta sem nexo. E, são nessas situações menores que o VAR também se encaixaria perfeitamente.

Um modelo que me agrada bastante é o da NFL (futebol americano), onde os juízes de vídeo analisam todas as jogadas em tempo real e alertam o juiz sobre uma possível intervenção.

O VAR veio para ficar para evitar erros grosseiros. Tem a vantagem de haver menos erros de arbitragem e menos injustiça.

Por outro lado, tem a desvantagem do tempo perdido com a análise do vídeo, que demora de 2 a 5 minutos para ser analisado e a sua conclusão por vezes origina mais confusão.

Agora quando uma equipa perde já não é culpa só do árbitro também é do VAR.

 

Fundador do Clube dos Pensadores

 

*escrevo ao abrigo do antigo AO

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.