Clube dos pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

A era Zidane

Zinedine Zidane, para muitos Zizou, estreou-se este sábado como treinador principal do Real Madrid  frente ao Deportivo da Corunha. Os jogadores acolheram com satisfação a sua vinda, pois a relação dos jogadores com Rafa Benítez não era a melhor. Rafa Benítez foi sempre olhado de lado pelos jogadores e nunca caiu nas boas graças do balneário cheio de "egos" e com muitas "manias".

Acho que Rafa Benítez foi o menos culpado do que se passou. Chegando a si directrizes, de quem tinha que jogar, de uma forma dissimulada pelo presidente Florentino Pérez ou por interposta pessoa. O que é lamentável! Mas, já passou.

Zidane já conhecia o grupo e os jogadores sabem como são os seus métodos - foi adjunto de Ancelotti. Venceu em conjunto com a maioria destes jogadores a Décima Liga dos Campeões. Os jogadores nunca esconderam o apreço e simpatia que tinham por Ancelotti e sempre foram contra a sua saída.

Deste modo, sente-se que ficaram encantados com a vinda de Zidane. No jogo contra o Corunha foi patente a capacidade de empenho, sacar rendimento à maioria dos jogadores e a alegria posta no jogo.

Na era Zidane, na sua apresentação, ganhou os adeptos, o balneário e esperemos o Real Madrid no seu todo. Zidane é uma figura reverencial, que não é preciso muito para criar entusiasmo e boas sensações. Basta lembrarmo-nos do jogador fabuloso que foi. Mas uma coisa é ser um grande jogador, outra bem diferente, é ser um grande treinador.

Na era Benítez, era habitual vê-lo a chamar os jogadores durante o jogo para dar instruções. Zidane não o faz, é mais discreto. Se tiver que falar com um jogador fá-lo de forma discreta ou aproveita uma paragem do jogo.

Mantém-se sentado no banco, dando tranquilidade aos jogadores para executarem o seu plano de jogo. Ao decidir colocar James no banco, mostrou independência e deu a entender que as coisas vão mudar. Quem manda agora é Zidane. O Real Madrid tem que ter mais consistência defensiva. A recuperação de Isco, um jogador com as suas características enquanto jogador, foi um atrevimento, mas deu um sinal à direcção do Real Madrid. O esquema será semelhante a Ancelotti: 4-3-3, com Bale a tapar o flanco direito.

Houve ilusão e esperança no futuro, os adeptos estavam felizes e receberam-no com entusiasmo, os jogadores mais soltos e a querer mostrar serviço. Vamos ver se é para continuar. Jogar fora não é o mesmo que no Santiago Barnabéu.
Zidane joga toda a sua carreira, como treinador de futebol no Real Madrid, que começou agora. Ou consegue boas prestações ou fica destruída para voos tão altos. Começou pelo fim.

Nota: Messi venceu a sua 5.ª Bola de Ouro como jogador. Esta época, mais que merecida. Mas houve uma, em anos anteriores que deveria ter sido entregue a Ronaldo. No cômputo geral Messi deveria ter 4 Bolas de Ouro e Ronaldo também 4 Bolas de Ouro. Assim é que deveria ser e era mais justo.
Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade