Clube dos Pensadores

Joaquim Jorge
Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

Benfica inseguro

O futebol regressou e a incógnita para quem será campeão está aí, de novo. Na jornada anterior, o FC Porto perdeu e o Benfica empatou em casa e não aproveitou a escorregadela do Porto.

Como não podemos ver um jogo ao vivo contentamo-nos com televisão, mas não é a mesma coisa. Disputar um jogo com assistência e ver um jogo na televisão com assistência.

Os jogadores vivem uma orfandade desconhecida após este confinamento incomum, deu-se o retorno ao campo, mas com bancadas vazias. Mas os adeptos também vivem uma orfandade, pela falta de proximidade dos seus ídolos.

Não há tempo para lamentações. O negócio assim o exige e é preciso acabar o campeonato e realizar a Taça de Portugal.

Depois do confinamento penso que os jogos à porta fechada levam ao esbater da vantagem de jogar em casa e há menos pressão sobre os árbitros. Há muitas equipas que dependem muito do público, sem assistência o único desequilíbrio é dos jogadores, a vantagem de ter 50.000 adeptos a seu favor desaparece e os árbitros não são pressionados.

A nova regra de se poder fazer 5 substituições favorece as equipas grandes. As equipas pequenas têm menos jogadores de alto nível competitivo. É uma questão de orçamento, aqueles com mais dinheiro têm mais opções e mais jogadores. Por outro lado, permite que mais jogadores tenham a oportunidade de se exibirem. Nas equipas pequenas jogadores jovens e da formação terão mais chances.

Desta vez, segui o jogo Portimonense- Benfica. Um relvado excelente num clube pequeno o que não é habitual, mas como fica no Algarve o clima ajuda a explicar este magnífico tapete.

Teve piada ver alguns adeptos em cima de um telhado com um bombo. Esperemos que no futuro se possa ver futebol junto ao relvado.


Benfica entrou bem no jogo e fez um excelente golo por Pizzi numa jogada rápida. Perto da meia-hora de jogo, uma fífia da defesa do Portimonense permitiu ao Benfica passar a vencer por 2-0. Tudo dava a entender que o jogo estava sentenciado. O Benfica controlou o jogo a seu bel-prazer até ao intervalo.


Todavia um jogo de futebol tem duas partes e a segunda parte foi toda do Portimonense, em que sobressai um golaço de Júnior Tavares. O Benfica deixou-se empatar.

Ressalta deste jogo a instabilidade do Benfica, mais uma vez, escorregou sem cair, mas a sua insegurança, não ter engenho e arte para vencer, depois de ter a vantagem de 2-0 são preocupantes. A jogar assim o Benfica não vai conseguir ser campeão, em duas jornadas passou de estar a um ponto, empatado, para dois pontos do FC Porto (que são três para ser campeão).


Fundador do Clube dos Pensadores

*escrevo ao abrigo do antigo AO

Deixe o seu comentário

Assinatura Digital Record Premium

Para si, toda a
informação exclusiva
sempre acessível

A primeira página do Record e o acesso ao ePaper do jornal.

Aceder

Pub

Publicidade
apenas 1€ por mês
experimente sem compromisso e garanta o seu lugar na bancada da melhor informação desportiva.
  • conteúdo record em qualquer sítio e a toda a hora
  • acesso no pc, tablet e smartphone
  • versão epaper do jornal no dia anterior
  • conteúdos exclusivos para assinantes
  • suplementos especiais

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0